Eurovision

O que achamos dos ensaios de hoje do Eurovision 2017

05 de maio de 2017 - por Fabiana Silva
05 05 2017

Ensaios de hoje

  • Armênia
  • Eslovênia
  • Letônia
  • Sérvia
  • Áustria
  • Macedônia
  • Malta
  • Romênia
  • Ucrânia
  • Itália
  • Espanha
  • Alemanha
  • Reino Unido
  • França

Confira o calendário completo do Eurovision 2017

Armênia

Fabiana: não é perfeição, mas está bem perto disso. A Armênia mostra pelo milionésimo ano seguido que sabe fazer Eurovision e que sabe transformar uma música em um espetáculo para televisão. A iluminação rosa é muito feminina e o telão com elementos da cultura local é simplesmente lindo. Artsvik não é a cantora mais indicada para “Fly With Me”, mesmo que seu vocal seja muito potente – ainda sinto falta de um pouco mais de desenvoltura e de sensualidade Iveta, saudades. Nota: 9/10

Guilherme: Eita que o dia já começou bem. Tudo que eu disse no primeiro ensaio, mantenho. Porém, acho que falou um pouco de gás na presença de palco da Artsvik. Em contrapartida, a dança das bailarinas hoje estava mais sincronizada. Entra fácil no top 5 da semi e pode abocanhar um top 10 pro país. Nota: 9/10 pra ver até onde esse voo coletivo vai chegar.

Jônatas: A Armênia está vindo com tudo como sempre, Artsvik está com um vocal perfeito, jogo de câmeras está muito bom, só o telão que achei meio estranho, porém está legal para a performance. Nota: 9,25/10

Marcus: A Armênia dificilmente decepciona. Acho muito interessante a forma com que eles fazem as músicas já pensando na apresentação e tudo acaba ficando mais legal no palco. Tudo se encaixa, tudo parece ter sido planejado minimamente pra que formasse um conjunto perfeito. Maestria é o que define a Armênia esse ano. Nota: 9,5/10

Paulo: Olha, eu juro que esperava mais após LoveWave e o clipe de Fly With Me. Para mim falta algo ainda, talvez mais dançarinos – contudo o trabalho de cameras deverá suprir essa necessidade. Sim, estou sendo mais crítico pelas expectativas, contudo o vocal de Artsvik é soberbo, a apresentação está visualmente linda e a coreografia casa muito bem com a canção. Nota: 9/10


Eslovênia

Fabiana: a Eslovênia vem com boas ideias para sua performance e um intérprete experiente e talentoso. Isso é suficiente para um bom resultado? Claro que não! A canção continua sendo clichê e datada e a forma como essas boas ideias foram colocadas em prática não conseguiu melhorá-la. Omar, volte pro rock, de onde você nunca deveria ter saído! PS: adoro a parte em que ele começa os ‘iê iê iê’ e os telões de led suspensos começam a subir, saindo de cena lentamente. Nota: 5/10

Guilherme: O telão continua nadavê, mas ele continua um ótimo intérprete. Inclusive, um recadinho: É mais seguro escolher uma música datada/básica com um bom intérprete (oi, Laura Tesoro) do que uma música super moderna mas com um intérprete inexpressivo (oi, Bélgica/França/Macedônia). Por essas razões, creio que ele tem sim chances de beliscar uma vaga na final, ainda que seja na décima colocação da semi-final. Nota: 6,5/10 porque quero ele finalmente na final e que depois nunca mais volte.

Jônatas: Por incrível que pareça, eu gostei da apresentação de Omar, seu vocal está muito bom também, mas a música não ajuda. Nota: 5/10

Marcus: Muito feliz que a Eslovênia homenageou o Brasil colocando no seu criativíssimo telão. A apresentação parece estar bem feita na medida do possível, apesar de o país ter uma proposta pouco competitiva esse ano. Nota: 6/10

Paulo: Sim, a canção é horrenda de ruim e o telão é totamlente aleatório, mas o Omar canta muito bem – o que não salvou o fato de ficar totalmente entediado com a apresentação (nota: sentia a mesma coisa pela canção maltesa, contudo ela conseguiu fazer um show emocionante, sendo que a delegação eslovena falhou totalmente nisso). Nota: 4/10


Letônia

Fabiana: bem menos caótico que na final nacional. Agnes tem uma voz bem peculiar e seu figurino não passa desapercebido – só acho que ela deveria ter mantido o cabelo rosa, que estava bem mais bonito que as chuquinhas de paquita. É uma canção cheia de energia e isso é transmitido com as cores neons do telão, com a atitude de seus intérpretes e com o trabalho de câmeras. Adorei os canhões de gelo seco no final da ponte. Nota: 7,5/10

Guilherme: Primeiro quero declarar que estou feliz por terem tirado (corrigido, no caso) o “pênis”.
Esse cabelo de paquita não ornou com a roupa dela, espero que volte o rosa cacheado. Agora sim, ficou uma apresentação mais clean, mas sem deixar de remeter à bagunça que é característica da apresentação. O vocal da cantora não tá desapontando não, viu? Um ótimo número pra fechar a semi-final, e talvez tenhamos a Letônia em sua terceira final consecutiva. Nota: 8,5/10 porque sabiam onde desenhar tudo, mas as linhas ficaram guardadas pra terça.

Jônatas: Está a mesma coisa que a final nacional, está muito legal, eu gostei muito, as cores extravagantes e bem chamativas estão funcionando bem. Nota: 7/10

Marcus: No primeiro ensaio o público apontou um possível ‘pênis’ desenhado em um dos vidros no palco e a delegação redesenhou o que na verdade era uma pessoa com os braços para o alto, o que mostra a preocupação da delegação letã em fazer uma apresentação de qualidade. O ensaio foi interessante e tudo parece ter corrido como no esperado. Nota: 6,5/10

Paulo: Essa deve ser a primeira vez que eu gostei de Line e isso diz algo extremamente positive em relação ao ensaio. Pontos negativos são apenas a roupa de paquita in the rave on drugs da Agnese e aqueles desenhos bem pobres no palco. Contudo o resto está bem sólido, divertido e funciona bem. Nota: 8/10


Sérvia

Fabiana: Tijana vestida de cortina de banheiro, áudio parecendo de um disco tocado em um toca-discos que deixa a música mais lenta, backing vocal atrapalhando o vocal principal. A Sérvia está mais desastrosa do que em 2013. Onde está o país que veio para vencer? Se passar para a final vai ser pura sorte, porque não tem performance para isso. Nota: 2/10

Guilherme: Tá indo pra lua de mel? Se no primeiro ensaio tava uma porcaria, nesse segundo ela conseguiu piorar tudo. A música já é morna pra abrir o show, aí ela me vem com esse telão do clipe (mas que casa com a proposta da música, única coisa a salvar), esse dançarino descamisado (não, eles não ajudam em nada) fazendo os mesmos passos do dançarino da Ira Losco ano passado. Uma decepção pra um país que ganhou há 10 anos atrás trazer uma performance tão desanimadora, fraca e amadora. Nem o vocal tá salvando. Se for à final, vai ser a finalista mais injusta da história. Nota: 0,5/10 por se aprofundar no flop.

Jônatas: Não está nada legal, Tijana está gritando demais sem necessidade, nada está funcionando, telão, figurino, tudo está uma marmota. Nota: 0,025/10

Marcus: A Sérvia tem uma música muito interessante, mas Tijana está tendo problemas sérios no vocal, o que irá atrapalhar bastante na hora da votação do júri e do público. O fato de ter apenas um dançarino realmente me incomoda; acho que deveria haver mais uma ou duas pessoas performando com ela. Nota: 3,5/10

Paulo: A Servia abandonou as balcanisses para flopar no meio de vários países com suas baladas pop genéricas na língua inglesa. Servia faz tempo que não acerta apresentação e isso é extremamente amador – parece que sempre vão jogar um/a dançarino/a pra fazer acrobacias aleatórias quando não se tem criatividade para fazer algo melhor. Antes Tijana sozniha do que aquela pessoa aleatória ao redor dela que empobreceu e muito o show. Desanimador. Nota: 3/10


Áustria

Fabiana: solidez, carisma e talento – uso essas três palavras para descrever Nathan Trent. Como ele fica bem na frente das câmeras e como ele defende sua música com propriedade. Ele tem um dos melhores vocais do festival e, a cada vez que ele sobe no palco, creio que a delegação alemã se morde de raiva, por ter deixado uma pérola dessas escapar. A lua é algo controverso, mas não vejo problema com ela, pois até faz sentido ter uma lua quando alguém está correndo no ar. O telão mostrando uma noite virando dia, com todas as nuances de cores, é maravilhoso. Nota: 9/10

Guilherme: A lua combina direitinho com o conceito da apresentação. Vocalmente, o Nathan tá dando um show. E o que dizer dos passinhos? Tá bacana mas falta um molejo ali. Vai ser um show totalmente trabalhado pra tv, o que não é errado. Creio que o veremos na final, mas não o vejo fazendo grandes estragos na votação. Nota: 8/10 pro nosso Avatar (não os bichos azuis, o dobrador do ar).

Jônatas: A apresentação de Nathan está simples, porém muito boa, o elemento utilizado em palco foi uma boa escolha, pois deixa a performance mais dinâmica, sem precisar que o cantor fique andando pelo palco desnecessariamente. Seu vocal também está ótimo. Nota: 7/10

Marcus: Aquilo ali são asinhas no tênis dele? Gente, mas isso está muito Disney pra mim, chega a ser infantil. Daria muito certo no JESC. Mesmo assim é bem feito e o telão foi muito bem construído. Nota: 6/10

Paulo: Fantástico. Utilizaram muito bem o carisma e a presença de palco que o Nathan tem e unidos com uma boa apresentação, é sucesso. A ideia da lua para mim funciona muito bem, a iluminação e a mudança de cores do telão são geniais. Tem um apelo muito grande para adolescentes e jovens e não vejo adultos se afastando dela por ser um tanto quanto juvenil, pois o charisma do Nathan é contagiante com um pop comercial mas moderno. Nota: 9,5/10


Macedônia

Fabiana: outro país que tem alguns elementos muito bons, mas cujo resultado final é catastrófico. O figurino de Jana é ótimo e esse telão é um dos melhores do ano, talvez o melhor da história da Macedônia. Só que o país não sabe fazer apresentação! Muitos planos abertos e nenhuma história sendo contada durante os três minutos. O clipe tem uma ideia bacana, contudo apenas alguns closes de Jana foram utilizados no telão. Cadê a velhinha fofuxa do VR? Ela deveria estar, de alguma forma, na apresentação. A cantora também tem sérios problemas na parte vocal. Nota: 4/10

Guilherme: O QUE CUSTAVA FAZER ALGO MAIS ELABORADO E CONDIZENTE COM O QUE A MÚSICA EXIGE, MACEDÔNIA? PELO MENOS UMA VEZ NA VIDA. UMA. FUCKING. VEZ. Na verdade nem estou surpreso com o assassinato de mais uma boa entrada do país. O passinho do romano tá vergonhoso, a roupa de cabaré feat. dançarina de boteco super nadadê pra apresentação, o vocal fraquíssimo, o jogo de câmeras amador… Ao menos o telão continua bem bonito, sem contar que a Jana é uma fofa (o que pode resultar em uns pontinhos). Ah, ela também conseguiu se soltar um pouco mais no palco. Caso vá para a final, é porque os fãs realmente gostaram da música dela, mas do jeito que tá sendo apresentado tá bem caótico. Nota: 3/10 porque tá perigando dançar feio com a galera flopada.

Jônatas: Achei a Jana um pouco robotizada, ela deveria se soltar mais, sinto que ela fica muito presa a coreografia, fora isso, sua performance está bem legal, vocal, figurino, o telão, tudo encontra-se em perfeita harmonia. Nota: 8,5/10

Marcus: Achei bem interessante o fato de que as cores no palco aparecem apenas no refrão. O telão está bem interessante e Jana parece estar muito confortável no palco. Isso ajuda muito para a apresentação. O conjunto como um todo está muito bem feito, palmas pra Macedônia. Nota: 8/10

Paulo: Surpresa! Não achei ruim! Sim, o vocal não é excelente e a dancinha da Jana poderia ser melhor (fica muito repetida, ela poderia dar uma soltada maior, pra ficar mais natural). Contudo, eu esperava muito pouco e está até decente. Como dizem, o trabalho de cameras vai ser horrível, mas ao menos o telão é fantástico. Nota: 7,5/10


Malta

Fabiana: como “Breathlessly” cresceu desde que venceu a seletiva maltesa em fevereiro. Parece que é o tipo de música ideal para Claudia e, como um milagre, o revamp ficou maravilhoso. Ao que tudo indica, teremos uns bons planos fechados, o que é bom para que ela se conecte com o público e transmita a dor de corno de sua canção. Já disse na Polônia e repito aqui – usar fundo azul e roupa branca traz classe para baladas; e se tem máquina de vento, melhor ainda. Vejo o júri colocando Malta em mais uma final, dessa vez com todo merecimento. Nota: 8,75/10

Guilherme: Eu tenho um sono imenso com essa música, mas tenho que admitir: A emissora maltesa esse ano está de parabéns. Pegaram uma balada datada, que muita gente não daria a mínima e fizeram uma performance simples e sutil, mas sem que ela fique maçante e esquecível. E o que é o vocal da Claudinha, minha gente? O povo esse ano é top nos falsetes. Não sei se conseguirá cativar o público o suficiente, mas o apoio dos jurados é quase certo, assim como a aparição maltesa na final. A única ressalva negativa fica pro telão Egovision. Nota: 9/10 por me deixar boquiaberto e sem ar com essa apresentação super bem feita (depois do fiasco de 2016).

Jônatas: Minha surpresa do dia, Malta está simplesmente incrível. Vocal, figurino, o telão está melhor ainda, tudo está simplesmente perfeito. Nota:9,5/10

Marcus: Já estou imaginando no jogo de câmeras a Claudia cantado cheia de emoção com imagens do queixo dela no fundo, que é a única coisa que vai dar pra ver em planos fechados. Erraram feio com esse telão. Ainda sim, Claudia parece confiante e calma, o que é ótimo. Nota: 5/10

Paulo: Essa música sempre me deu sono e olha, está muito bom! Se Malta tivesse tirado o egovision da Faniello do telão e colocado cenas do maravilhoso clipe da canção, seria um home run. Contudo Malta surpreendeu e obviamente o júri (como sempre) vai empurrar ela para a final – e se acontecer, será merecido. Nota: 8,5/10


Romênia

Fabiana: quando a melhor coisa que aconteceu com a Romênia em dois dias de ensaios foi um tombo, você percebe que a coisa está mais do que feia. Telão infantil, elementos de cena que nada lembram o yodel ou a mensagem que a canção transmite, canhões totalmente desnecessários. Se não fosse o carisma da dupla, eu não hesitaria em dar “zero”. O vocal dessa vez ficou bem abaixo do esperado (no vídeo da realização, Alex dá uma desafinada feia). Nota: 1,5/10

Guilherme: Ambos estão lindíssimos, mas tá tudo muito desconexo feat. infantilizado nessa performance…
A voz do Alex hoje também não tava salvando. Ilinca ao menos teve uns movimentos menos robotizados hoje. Feliz também que o Alex conseguiu não cair do canhão. É uma apresentação bobinha, mas que vai cativar o público pelo yodel (que inclusive não foi representado em momento algum). Nota: 4/10 porque um dia hei de aprender o yodel.

Jônatas: Bem colorida e divertida, creio que o jogo de câmeras será muito bom, mas ainda não entendi a parte dos canhões, totalmente desnecessários. Nota: 6,5/10

Marcus: Eu achei que a Áustria estava infantil, até ver o ensaio completo da Romênia. A música já sabemos que foi pega do filme dos sete anões, já o telão veio de algum desenho educativo do Discovery Kids. O canhão foi pego emprestado de ‘A Fuga das Galinhas’. Ainda tento entender o motivo de eles estarem em sexto nas apostas. Nota: 3,5/10

Paulo: Totalmente sem classe, sem bom gosto, sem nexo. Totalmente infantil (conseguiu ser mais infantil que Pollapönk, que usou isso a seu favor e funcionou muito bem) o que não tem conexão nenhuma com a canção – e o canhão, para que? Esse telão aleatório que muda constantemente e fica pior cada vez? Vão dar dramin para nós ver isso? Chega a ser revoltante, chega a ser um crime que a arte do yodeling seja morta desse jeito por um bando de gente sem cultura e sem classe que faz essa palhaçada no palco. Simplesmente tosco. Nota: 0,1/10


Ucrânia

Fabiana: hoje é dia de rock, bebê! Mas um rock bem meia boca – não pela canção em si, que é maravilhosa, mas pela falta de força da performance e pela atitude sem vivacidade dos membros do O.Torvald. A iluminação funciona bem e o verde dá mesmo essa sensação de ‘tecnologia’ (me lembrou Matrix) e, mesmo sendo um pouco confuso, o fundo é coerente com a mensagem. E ai está a famigerada cabeça, que ninguém sabia quem ia usar; os efeitos de projeção na tal cabeça é o que há de melhor no conjunto da casa. Esperava MUITO mais deles! Nota: 6/10

Guilherme: Eita que já tivemos hoje a anfitriã também no palco (a partir de agora textos curtos, prometo :P)
O mistério da cabeça enfim foi revelado. Ficou bem legal do modo que ela foi usada em palco. Ucrânia mostrando que não brinca em serviço, nem em casa. Telão condizente com a proposta, vocais dignos… tá uma apresentação decente. Nota: 8,5/10 porque faltou tempo pra ver o resto.

Jônatas: Falamos tão mal da cabeça misteriosa, querendo saber de qual apresentação ela pertencia, e pertence a Ucrânia, ela até que está funcionando bem no palco, o vocal está bom, mas precisa melhorar mais um pouco, com um bom jogo de câmeras, essa performance pode ir bem alto. Nota: 6,5/10

Marcus: Enfim descobrimos quem usará essa cabeça prateada. Confesso que achei estranho à primeira vista, mas acabou encaixando bastante com o palco. O telão está muito bonito e a iluminação também. Apesar de a Ucrânia estar um pouco esquecida esse ano, eles estão fazendo um ótimo trabalho no palco. Nota: 7/10

Paulo: Como uma das minhas favoritas, estou esperando MUITO dos ucranianos. Após duas performances fantáááásticas na final nacional, eles não repetem a representação (viu Suécia?) e essa parece ser mais simples que as demais, o que me deixa um pouco mais preocupado. Está tudo bonito, mas minhas expectativas são bem maiores do pouco que pudemos ver. Nota: 9/10


Itália

Fabiana: a Itália não mudou muita coisa desde a final nacional mas, sinceramente, precisava? O fundo é bem colorido e traz importantes elementos da canção, como a evolução humana e o ‘macaco pelado’. Os arabescos coloridos mostram bem a energia do conjunto e Gabbani, como sempre, está impecável. Boatos de que o trabalho de câmeras não foi tão bom, mas ainda dá tempo de melhorar. Nota: 9/10

Guilherme: Ok, está certo que vamos pra Itália ano que vem. O telão com animações em 2D ficou bem bonito (sem contar que ajuda o povo a repetir a dança). Vocalmente, tá bem feito o trabalho italiano até aqui. A única ressalva negativa fica pros backing vocals, alguns deles ainda não aprenderam a dancinha da scimmia nuda. Ou aprende tudo, ou não aprende nada. De resto, é performance digna de vitória. Nota: 9/10 pro carma do Gabbani em se dar bem em todas as competições que ele pisa (até agora).

Jônatas: Outra apresentação com uma dancinha tosca, aquela voz de cigarreiro do Gabbani me incomoda, o telão está meia boca, não gostei de nada. Me julguem! Nota: 2/10

Marcus: Tudo será bem semelhante ao que foi feito na seletiva, que legal só que não. Gostei muito do fato de terem escurecido o fundo do telão, que era bem mais claro no Sanremo. Achei que o Gabbani está meio disperso, mas é algo a se melhorar pra final. Ah, a dancinha está pro lado errado em relação ao telão. Nota: 7,5/10

Paulo: Obviamente é genial, não tem o que discutir aqui. Contudo estou preocupado que os backing vocals atrapalhem a apresentação ou a deixem mais barata. Gabbani não deve deixar a euforia tomar conta de si e se controlar um pouco mais, mas mesmo assim está ótimo. Nota: 9/10


Espanha

Fabiana: Espanha não foi ruim, mas foi bem morninha. As cores utilizadas são vivas e a evolução do telão da parte em que a música entra no primeiro refrão é promissora, é quando o visual praiano toma conta do palco, entretanto boa parte das animações são bem amadoras, bem clipart de PowerPoint. Infelizmente, a parte vocal não empolgou; colocar uma banda para acompanhar Manel também não foi das melhores coisas que os espanhois poderiam ter feito. O cantor tem condições de fazer melhor que isso, ele só precisa se animar mais e transmitir essa animação para o público. Nota: 4,5/10

Guilherme: O menino tá descalço no palco, o que é legal porque remete o clima da música, sem contar o telão (bem bonito, por sinal) totalmente praiano. Parabéns Espanha por ter uma apresentação conexa. Ele é um bom intérprete, mas sinto que hoje ele não estava vocalmente preparado. A banda também não foi a melhor coisa a se colocar no palco. De resto, tá bacaninha e dentro da proposta da música, e não entendi o porquê do hate da imprensa. Nota: 7/10 pra ele fazer mais por quem o ama.

Jônatas: Nem para o ESC 2017 ter sido sediado em Odessa. A apresentação está muito horrível, não tem nada de legal nessa performance, nada se salva. Mirela a Eurovison! Nota: 1/10

Marcus: Só eu lembrei da abertura do Chapolin com essas pranchas no telão? Que brega, amigos. QUE BREGA, AMIGOS. Nota: 3,5/10

Paulo: Ainda acredito na Espanha. Vai melhorar com o trabalho de cameras mas aquele telão… Espanha, não tenho como te defender, não tenho como ficar do seu lado. Aquelas pranchas são tão amadoras, são tão pobres que era a unica coisa que eu conseguia ver, de tão tosco. Mas Manel está ótimo, nada de surpreendente. Nota: 6,5/10


Alemanha

Fabiana: Levina está ótima no palco, mais confiante e cantando melhor do que na final nacional, mas a apresentação é monótona. A escolha de cor foi totalmente equivocada – cinza é triste, sem graça, não fica muito bem no vídeo. O único momento legal! bem louco! empolgante da performance é a chuva pirotécnica. Que o trabalho de câmeras a ajude e tire a Alemanha do terceiro último lugar seguido acho que dia 14 Levina tem certa chance de pedir música no Fantástico. Nota: 5/10

Guilherme: Essa aí entendeu errado a frase “menos é mais”. Tudo muito básico e amador (assim como na Sérvia). O que salva é o vocal da garota, porque de resto, grita (e implora) último lugar na final. Espero que a Alemanha reverta esse quadro pra 2018, nem parece o mesmo país que ganhou há 7 anos atrás. Nota: 1/10 pois a vida pode estar perfeita pra Levina, mas jornada não.

Jônatas: Apresentação bem simples, como cores escuras, mas nada sombrio, combinou demais com a música, tudo se casa. Fizeram uma boa escolha. O vocal de Levina está muito bom. Nota: 5/10

Marcus: Tudo muito simples e monocromático. Parece que as cores se manterão as mesmas durante toda a performance, o que vai deixar a apresentação apagada. Levina está ok no palco, parece ter ensaiado muito e está dentro do esperado. Isso tem cara de top 3 pra você, Levina? Nota: 5,75/10

Paulo: Como deixar uma canção sonolenta mais sono ainda? Vamos colocar cinza em tudo que é uma cor extremamente viva e vibrante, né? Alemanha firme e forte no seu projeto de terceiro bottom consecutivo e se não fosse pelo vocal da Levina, seria bem pior. Nota: 5/10


Reino Unido

Fabiana: Reino Unido veio para tirar a má impressão que veio causando nos últimos anos. Não temos muitos elementos de cena, porém esses espelhos/telões criam um efeito interessante no vídeo. Essa evolução do telão do céu estrelado preto e branco para as explosões douradas é impactante! Lucie está excelente no vocal, mas precisa urgentemente melhorar suas expressões corporais, que parecem robóticas. O figurino seria melhor se contrastasse com o fundo e não da mesma cor dele. Nota: 8,5/10

Guilherme: FINALMENTE UMA APRESENTAÇÃO BOA PELO REINO UNIDO, DEPOIS DE ANOS ESPERANDO. Esse mini palco ficou bem jeitosinho e deu um ar intimista pra balada. E o que são esses espelhos, minha gente? Luxo total. Telão magnífico, vocal magnífico, performance magnífica. Eu que não era fã do Reino Unido já to vibrando forte pra que eles entrem no top 10. Nota: 9/10 pra que a Lucy não desista de pisar e continuar com essa apresentação maravilhosa.

Jônatas: And maybe… Gostei muito, a escolha das luzes e o elemento utilizado em palco, essa performance promete ser muito boa, vai ficar maravilhoso na TV. Nota: 8,5/10

Marcus: Quando Lucie disse que sua apresentação seria simples imaginei muito menos. Estou surpreso com a qualidade que a apresentação aparenta ter, pois está realmente muito bem feito. Lucie, como sempre, está dentro das expectativas. Nota: 8,5/10

Paulo: Está muito bom! Contudo eu trocaria a cor da roupa da Lucie para ela não desaparecer no meio do resto, mas o visual está maravilhoso e finalmente o Reino Unido veio acertar algo. Parabéns e com um bom trabalho de cameras, Reino Unido consegue a primeira parte da tabela. Nota: 8,5/10


França

Fabiana: Alma, você vai entender o que eu vou dizer (porque você fala português) – mostra essa ‘alma’ brasileira que você ganhou aqui em São Paulo! Se solta, mulher!!! Mesmo cantando aceitavelmente bem, ela está muito estática, até parece meio desconfortável. Sinto falta dos dançarinos de tango, pois vir sozinha ao palco não funcionou muito bem, ela poderia se movimentar mais, se divertir mais, interagir mais. Pelo menos, temos um dos fundos mais bonitos da edição, com essa Torre Eiffel dourada. Tem potencial ai, é só explorar! Nota: 6/10

Guilherme: O telão é bonito? É. Condiz com a performance e mensagem a ser passada? Hell no. Faltou alguém pra fazer companhia pra mocinha. Sem contar que ela é robótica e falta potência vocal. O ponto positivo é o carisma dela mesmo porque é o que sustentou todo o hype em torno da guria até agora. Resumo: França como sempre com preguiça de elaborar uma performance condizente com o que a música quer passar. Se ano passado um staging fraco foi capaz de tirar a França do top 5, esse ano creio que dificilmente eles estarão entre os 15 melhores. Nota: 2,5/10 porque… deixa pra lá, meu estoque de trocadilhos ruins acabou 🙁

Jônatas: No telão a parte que mostra uma projeção de Paris vista de cima é bem legal, mas a parte que aquilo começa a rodar não funcionou. Cade meu vertix?. As luzes ficaram bem legais, mas aquele vestido… Tomara que não seja seu figurino do dia. Nota: 7,5/10

Marcus: Sinto falta de dançarinos no palco, daria uma atmosfera totalmente diferente na apresentação. O telão é muito bem feito, mas parece não dar destaque aos pontos fortes da música. Mais uma vez a França tem uma proposta genial em mãos e desperdiça tudo com uma apresentação aquém do esperado. Nota: 5,5/10

Paulo: Cade a alma da Alma? Sério mesmo que ela vai ficar parada no meio do palco o tempo inteiro, dura cantando a música? Flop anunciado. Nota: 5/10

x Close

Curta nossa página no Facebook