Análises

O que achamos dos ensaios de hoje do Eurovision 2017

04 de maio de 2017 - por Fabiana Silva
04 05 2017

Ensaios de hoje

  • Suécia
  • Geórgia
  • Albânia
  • Austrália
  • Bélgica
  • Montenegro
  • Finlândia
  • Azerbaijão
  • Portugal
  • Grécia
  • Polônia
  • Moldávia
  • Islândia
  • Tchéquia
  • Chipre

Confira o calendário completo do Eurovision 2017


Suécia

Fabiana: nada de novo sob o sol de Estocolmo… Já vi essa performance tantas vezes que ela passa totalmente desapercebida. O vocal durante o refrão continua um problemão, enquanto o telão e as cores são as melhores coisas do conjunto. Sinto falta de um pouco de emoção, a coreografia é totalmente automática. Nota: 6/10

Guilherme:Comparado ao que vimos no primeiro ensaio, a voz dele tá melhorada (mesmo com a falha no refrão). A apresentação é o mesmo de sempre nem tem o que comentar de tão batida que é pra nós que acompanhamos o Eurovision desde as finais nacionais, mas pro grande público vai ser mais um espetáculo maravilhoso que abrirá o grande evento. Nota: 7/10 por continuar freaking beautiful.

Jônatas: Gostei muito do telão, principalmente a parte da estrada causando um efeito de movimento. Tanto o Robin quanto os dançarinos estão passando um ar de desanimação. Vamos animar! Robin precisa melhorar o vocal, pois está bem meia boca. Nota: 6/10

Marcus: É tudo igual ao da seletiva, né, amigos? Não tem o que dizer. Gosto do telão e das cores usadas. No mais, tudo segue normal e muito bem feito. Nota: 7,5/10

Paulo: Robin, como de costume, parece desconfortável ao apresentar a canção. Ele é muito duro e falta um certo “molejo” para vender a música – o que fica bem claro em relação ao resto dos dançarinos. Como é de costume, a Suécia não muda nada em relação ao Eurovision – o que geralmente resulta em uma versão piorada do Melodifestivalen. Sem muitas novidades, contudo eu gostei muito mais do telão no total. Vocalmente, não está nada surpreendente. Nota: 7/10


Geórgia

Fabiana: canta demais a mulher, JESUS! Cada nota alta bem executada me arrepia inteira. Ela faz uns carões para as câmeras e esse vestidão vermelho com capa a deixou ainda mais poderosa. É uma canção que cresce muito ao vivo (já disse isso antes), mas que vai precisar muito do trabalho de câmeras (também já disse isso). Não gostei do telão – em vários momentos, são só gráficos sem propósito algum, que não fizeram com que Tako se destacasse ainda mais. Nota: 8/10

Guilherme:Agora sim a capa ficou adequada com o vestido dela (que inclusive tá lindíssimo). A hora que ela tira a capa e joga o pedestal no chão é um arraso também. E ESSE VOCAL? Jesus, que diva. Só uns adendos: Senti falta da pirotecnia que teve no primeiro ensaio, além do telão ser vermelho, o que pode fazer que ela “suma” no palco. De resto tá tudo maravilhoso e não vejo a Geórgia fora da final. Me arrepiei todo. Nota: 8/10 pra Tako continuar mantendo a fé porque ela tem altas chances de ser o melhor resultado da Geórgia na história Eurovisiva (juniores não contam, porque né).

Jônatas: Foi uma das maiores decepções do dia para minha pessoa. Até a apresentação dela na final nacional está bem melhor com o vestido de luzes, essa performance dela está bem sem energia, contudo isso, seu vocal está impecável. Nota:5/10

Marcus: Tudo parece muito bem feito, mas o excesso de vermelho me incomoda um pouco. Pode acabar ficando ruim no vídeo. Tako como sempre sendo talentosíssima, jogando tudo no chão. Nota: 6/10

Paulo: Não entendo o ódio que Keep The Faith recebe. Ela é brilhantemente apresentada e se a Geórgia fizer um trabalho de câmeras bom, ficará ótimo. Tamara é de longe uma das melhores vocalistas da competição. O telão é horrendo, deveria ser MUITO melhor para subir a apresentação. Contudo é difícil dar uma nota baixa com o show que a Tamara dá no palco. Nota: 8,5/10


Albânia

Fabiana: esperava menos da Albânia, mas ainda não fui conquistada – talvez porque ache a canção mais do mesmo e porque o exagero de notas longas, falsetes e melismas me incomoda. Essa roupa branca é um dos figurinos mais bonitos que o país já teve em sua história (não foi um elogio) – com o telão colorido e com a iluminação bem forte, o branco foi mesmo a melhor escolha. O chão me lembrou muito “Don’t Deny”! Nota: 6/10

Guilherme:E mais uma com power ballad que exige muita performance vocal, usando vestido com capa. O começo da música é bem legal, harmonioso. A partir do segundo refrão, porém, o caos da gritaria começa. Lindita quer ficar se exibindo muito. O pior é que nem é aquela voz que você acha agradável, é muito forçada e sem emoção. A passagem dela por Kiev vai ser a mesma da cor do seu vestido – branco. O povo vai esquecer facilmente dela. Ao contrário da Geórgia, porém, o telão dela está bonito. Nota:5,5/10 porque nesse mundo de baladas, a dela é uma das mais mornas da edição.

Jônatas: Milagre ver a Lindita toda coberta, mas prefiro ela mil vezes mostrando a barriga do que usando aquele vestido que por sinal é bem feio. O telão está bem básico com pedras, barcos flutuantes e relógios. Seu vocal está ótimo como sempre, creio que o jogo de câmeras será bem legal. Nota:6,5/10

Marcus: Eu adoro quando a apresentação segue o mesmo conceito do clipe. Acho que dá uma coerência bem interessante à proposta como um todo. Ainda sim, o telão me incomoda um pouco e eu acho a música pouco competitiva. Lindita, como sempre, está bem confiante e fará um bom trabalho. Nota: 6,5/10

Paulo: Mais clichê, impossível. A letra da canção já não ajuda e ela vem com esse figurino manjado e um telão que falta imaginação. Vocalmente ela está como sempre: ótima e exagerada. Os backing vocals dão uma empobrecida no que já não estava bom. Só um milagre para classificar a Albânia. Nota: 4/10


Austrália

Fabiana: olha o egocentrismo tour aí gente!!! Para que esse monte de Isaiah gigante no telão, fazendo pose de comercial de shampoo? O australiano tem uma voz matura e seu vocal está no ponto, mas parece que ele não gosta de olhar para as câmeras. Sem contar que esse figurino o deixou parecendo muito mais velho do que é; é elegante, mas muitoooo antiquado. Essa plataforma móvel também não deu lá muito certo. Nota: 5/10

Guilherme:A música é boa, mas a apresentação afundou muito. A voz de Isaiah está dentro do padrão pra proposta, mesmo fazendo muitas firulas. As esteiras são itens legais, mas com esse telão narcisista não ornou em nada. É gente, não teremos a Austrália no top 10 esse ano (e talvez nem na final).
PS: Continuou com a capa de chuva, então se flopar não vou chorar. Nota: 4,5/10 por dificultar tanto para sair uma apresentação boa (após duas maravilhas australianas).

Jônatas: Apresentação simples, porém funciona muito bem, aquele disco deixa o Isaiah movimentado, faendo com que não tenha uma performance parada e nem ter de ficar andando aleatoriamente pelo palco, sua voz como sempre muito boa, a pesar do telão ter ficado bem egocêntrico, ele funcionou muito bem. Nota:7/10 

Marcus: Antes de mais nada devo dizer que a voz dele me arrepia. Olhando o ensaio inteiro, dá pra ver que o telão está muito bem feito apesar de muito simples. A ideia é excelente, porém o corte de câmeras (pelo menos a parte disponibilizada pela EBU) não consegue explorar o potencial da apresentação. No mais, os improvisos de Isaiah poderão ser fatais, já que o público está acostumado com uma versão que ele está modificando demais ao vivo. Nota: 6,5/10

Paulo: Pior performance da Austrália. Isaiah canta muito bem e apesar de sua boa presença de palco, não possui carisma – suas caras e bocas não atraem nem um pouco (e tendo um bombardeio de suas imagens no telão não ajudam). É interessante a esteira que ele usa, deverá funcionar muito bem no telão. Nota: 6/10


Bélgica

Fabiana: como jogar a chances do título pela janela, por RTBF. Todos sabemos que Blanche é tímida e travada na frente das câmeras, então a emissora deveria criar uma performance que minimizasse esse problema, dando mais atenção para a voz (que é linda) e para os elementos de cena. Foi exatamente o contrário: a cantora está em foco, sozinha, com um vestido branco de noiva questionável e com um telão simples e sem sal. Ela parece que vai chorar a qualquer momento. Uma pena! Nota: 2,5/10

Guilherme:Começo perguntando o porquê dela estar chorando, li tanta coisa na internet e não achei nada concreto. Pergunto também o porquê desse vestido branco cafonérrimo, parece que ela roubou o vestido da Eimear Quinn (vencedora do ESC 1996) e adicionou umas borboletas.
Agora voltando pra apresentação: O jogo de iluminação e o telão estão maravilhosos, parabéns, RTBF. Em contrapartida, do trecho que vimos, o jogo de câmeras tá bem fraco, então estamos quites, RTBF. Blanche está se soltando aos poucos (o que ficou nítido da metade pro fim da apresentação), e tá ficando bacana de acompanhar esse crescimento dela. Atitude: Era a palavra que descrevia o que faltava na Blanche, mas que felizmente ela está trabalhando nisso. É só trocar o vestido e continuar nessa evolução que o top 10 é seu, querida. Nota: 7,5/10 por ela estar sozinha na zona de perigo.

Jônatas: Hoje Blanche cantou com menos animação que no primeiro ensaio, a coisa está feia para a Bélgica. Ela é muito sem carisma, o figurino está bem feio, aquele vestido é muito volumoso. Falta umas dançarinas no palco para dar uma animada, já que a menina Blanche queria estar morta.  Nota: 4/10

Marcus: Já disse e repito: o conceito do telão da Bélgica é um dos melhores do ano. No mais, Blanche parece muito nervosa na sua apresentação, o que poderá prejudicar seu vocal. Um erro fatal que a Bélgica cometeu foi usar planos fechados na Blanche, já que ela tem pouca expressividade e isso pode deixar a apresentação ruim. Nota: 5/10

Paulo: Vestido horrendo, movimentos totalmente mecânicos, carisma zero, cara de choro, telão pior ainda. Nunca pensei que seria possível estragar uma música desse jeito. Alguém me explica essa cara de choro/desespero da menina? Alguém tá ameaçando ela? Ela tá ali a força? Ou é apenas que ela está morta por dentro e não queria estar ali? Horroroso. Nota: 0,5/10


Montenegro

Fabiana: nem tenho muito o que dizer… Pelo menos ele está se divertindo e levando a galera à loucura. Gosto da ideia do telão (o espaço sideral, com estrelas e tons de azul, rosa e laranja), mas a adaptaria tirando os carões do Slavko. Os takes mostrados no preview não me animaram, Montenegro consegue ser muito melhor que isso. Nota: 3/10

Guilherme:Gostei da saia azul (?) do clipe, aí um que segue fielmente o conceito. Do primeiro ensaio pro segundo, ouve uma melhora de 20% no vocal, mas ainda acho que o microfone esteja baixo. Será que é pra esconder a tragédia que é a voz dele? Rs. Super divertida a coreografia, e vindo depois de 4 músicas lentas deve agitar o povo. Minha reclamação dessa vez vai pra emissora, RTCG (sei que ninguém vai ver, mas enfim): Como fã das entradas montenegrinas, fiquei decepcionado que, pela primeira vez na história, vocês (emissora) conseguiram fazer um péssimo jogo de câmeras (a julgar pelos 30 segundos que a EBU soltou). Espero que para o próximo ano tenhamos algo mais bem trabalhado. Sobre as chances do país, meu lado Alice ainda diz que Montenegro passa, mas minha razão diz que o flop é certo. É esperar pra ver. Nota: 6/10 porque quero levar um foguete pra delegação montenegrina pra ver que tá tenso o trabalho das câmeras.

Jônatas: Eu pensava que ele ia levantar voo balançando aquela trança, algumas partes da coreografia estão meio deslocadas, ele parece estar perdido no palco. Nota: 4/10

Marcus: O vocal, o telão, a coreografia, o figurino, tudo contribui pra que eu fique com vergonha alheia. Nota: 2/10

Paulo: Montenegro faz sentido em sua proposta e provavelmente vai ter apelo grande entre seus fãs. Ele não deveria estar sozinho no palco, o que melhoraria e muito a sua apresentação. Agora seu vocal é horrível. Agora o nível sexual da canção é bastante alta e poderá “ofender” muitos já que ele é bem pouco ”profissional”, digamos. Nota: 4/10


Finlândia

Fabiana: PURA ARTE! PERFEIÇÃO! O que é aquele chão em 3D, como se ela estivesse em um redemoinho de água? Essa interpretação literalmente tirou água dos meus olhos e acho que, apesar da grande subida nas casas de apostas, um 9º lugar ainda é pouco para Norma John. Sim, é basicamente a mesma performance do UMK, mas eles eram meus favoritos do UMK e estão no meu top-5 pessoal!!! O vocal e a interpretação estão perfeitos e a mudança das cores do azul para o vermelho ajuda a contar a história da canção. Nota: 10/10

Guilherme:Se na primeira apresentação faltou um pouco de carisma, nessa segunda extrapolou. Isso não é ruim, pelo contrário, Leena continua com sua bela voz (hoje inclusive aparentava estar melhor do que no domingo). Conseguiu cativar a tudo e a todos no tempo certo, e, se antes achava que o sucesso da Finlândia dependeria das outras apresentações, hoje vejo que essa performance pode (e vai) se destacar por si própria. Tem altas chances de vencer a semi-final (que nem está tão disputada) e quiçá entra pra briga do top 5. O maior (e mais justo) dark horse do ano. Nota: 10/10 porque quero passarinhos cantando pra mim na final (e talvez até repetir a dose, quem sabe?).

Jônatas: A mais bela apresentação do dia, melhor, impossível. A performance está bem básica, porém bem singela, pois a música não pede algo extravagante, o chão, o telão, o vocal de Leena, tudo está perfeito. Nota: 10/10

Marcus: Já disse que não gosto que repitam apresentações das seletivas no Eurovision pois perde a graça e com a Finlândia não é diferente. Ainda sim, eles têm um ótimo staging e tudo está muito bem feito, assim como na NF. Nota: 8/10

Paulo: Arrepia do começo ao fim, telão é maravilhoso, o vocal está magnífico e se o jogo de câmeras for certo, é top 10 na final. Fantástico! Nota: 10/10


Azerbaijão

Fabiana: vou dar todo o crédito para Dihaj, que conseguiu mostrar personalidade e atitude em uma performance azeri controvérsia. Num primeiro momento, não gostei muito, mas depois de assistir algumas vezes, acho que tem tudo para ser a rainha alternativa do ano. A ousadia do conjunto e todo seu simbolismo acabaram me atraindo. O vocal não é dos mais fortes, mas não é algo que atrapalha o resultado final. Nota: 7/10

Guilherme:Mais um microfone que achei muito baixo. A performance vocal da Dihaj, no entanto, melhorou de lá pra cá. A performance é totalmente voltada pra tv, mas curiosamente também ficou bem executada pra quem vê no palco. Dihaj vem se consagrando como rainha alternativa e pode até pintar um top 10 pro país, após 3 anos turbulentos. Nota: 8/10 ainda pro bad boy em baixo da máscara de cavalo.

Jônatas: Gostei bastante da apresentação, parece que o Azerbaijão voltou a executar performances incríveis, tudo está em perfeita harmonia, aquela caixa ficou bem legal, a única coisa que ficou estranha foi o cara com uma máscara de cavalo em cima de uma escada e o seu vocal que precisa dar uma melhorada, fora isso tudo está muito bom. Nota: 8/10

Marcus: Confesso que fui precipitado na primeira análise dos ensaios com o Azerbaijão. Olhando o ensaio completo, tudo parece muito bem feito e planejado. Dihaj precisa de alguns ajustes no vocal, mas o restante segue muito bem feito (ainda me incomodo com esse homem-cavalo na escada). Nota: 7,75/10

Paulo: Uma das mais controversas e originais apresentações do ano, o Azerbaijão realiza para mim um FANTÁSTICO ensaio. Eu simplesmente amei o conceito e apesar da história não fazer muito sentido, as idiossincrasias dão um charme maior à canção. O vocal da Dihaj ainda me incomoda no seu começo, mas ainda o Azerbaijão conseguiu uma apresentação extremamente indie, dark e misteriosa. Simplesmente magnífico. Nota: 9,5/10


Portugal

Fabiana: lindo exemplo de exaltação do idioma português! Não podemos falar sobre a interpretação, já que Luísa não é a representante do país, mas podemos sim falar do trabalho de câmeras, que está acertadamente cheio de closes, desse telão maravilhoso e desse tom de azul melancólico, que cai como uma luva na mensagem da canção. Já sabemos o nível de artista que Salvador é, portanto um terceiro lugar nas casas de apostas é mais do que merecido. Nota: 9,5/10

Guilherme:Jogo de câmeras bem feito, fundo lindíssimo e de uma forma que não atrapalhe a performance. Não vou julgar presença de palco nem voz porque ainda é a Luísa e não o Salvador. Portugal tem dois caminhos: Voltar mais cedo pra casa ou sair super bem, resta saber como o grande público vai reagir ao salvador e sua singela balada romântica. PS: a nota aplicada vai pro conjunto do palco (iluminação, câmeras e telão).
Nota: 8,5/10 pelo amor duplo da Luísa em ajudar seu irmão em tempos difíceis.

Jônatas: Apresentação linda, aquilo vai ficar maravilhoso na TV, uma apresentação bem simples e singela, sem nada de surpreendente, porém arrancará o fôlego de muita gente. Nota: 8/10

Marcus: Portugal está surpreendendo a Europa. Se sem Salvador as apostas do país estão subindo, imaginem com ele. Tudo é simplesmente impecável. Nota: 9/10

Paulo: Impossível não amar Portugal. O conceito está maravilhoso, é intimista e valoriza mais do que nada, a música. É difícil julgar o conjunto sem Salvador, mas ele é a cara de Amar Pelos Dois e ficará ainda melhor com ele (amo a Luísa, ela é talentosíssima mas o Salvador a interpreta com muito mais amor e ternura). Caso Portugal não pegar no mínimo um top 10, será um crime. Nota: 9/10


Grécia

Fabiana: por onde eu começo a falar do desastre grego? Primeiro: se você tem uma música dançante, você tem que fazer com que as pessoas tenham vontade de dançar – Demy não conseguiu isso. Sua performance é muito parada e ela errou feio no uso do holograma, colocando um plano aberto totalmente que mostra os limites da tela de led usada. O vocal dos backing vocals nas notas longas do refrão é vergonhoso, eles não conseguiram acertar nenhuma vez! Sinto pena da cantora, porque ela tem talento e carisma para vencer o Eurovision, mas a equipe grega fez tudo errado! Nota: 3,5/10

Guilherme:O vestido em si é lindo, mas não é pra uma farofa. Ainda tentando entender o conceito da água com o amor. Um telão com projeção, uau (com direito a Egovision incluso), pena que é desconexo também. A única coisa que salva é a voz da Demy que continua maravilhosa pra proposta da entrada. De resto, tá tudo tão desconexo e sem sentido nessa música que dá até vergonha alheia pelos gregos. Se passar, vai roubar a vaga de alguém que realmente merecia. Nota: 2/10 porque ela esqueceu que agora é “reaching out for the stars” e não “rain falls from above”.

Jônatas: Performance muito bem trabalhada, cheia de efeitos bem legais. A mudança brusca do telão na hora do refrão é muito ruim e aquela espécie de fonte ficou bem sem graça também. Nota: 5,5/10

Marcus: Não parece ser uma apresentação ruim, porém não tem nada de surpreendente. Continuo achando a mudança de cores do telão algo ruim. Demy continua carismática e talentosa. Nota: 6,25/10

Paulo: Demy tá querendo transformar sua farofa em balada? Não basta a canção ser extremamente barata, precisa colocar vários efeitos + dançarinos aleatórios com danças que miram no conceitual e acertam nas bailarinas do Faustão + telão tosco e .. olha, preguiça. Tá merecendo outro flop na semi. Nota: 4/10


Polônia

Fabiana: Polônia foi meu maior tapa na cara. Era uma música que passava desapercebida para mim, mas ali no palco ficou lindo! Esse vocal dela é penetrante e o vento no vestido durante a ponte é um arraso – e que vestido sexy sem ser vulgar! Roupa branca com iluminação azul sempre traz classe a uma balada. Agora, ela tem que agir com mais firmeza para a câmera, transmitir com o rosto e com o corpo o que ela está fazendo com a voz. Seu olhar é meio morto, perdido em Verona. Nota: 8,5/10

Guilherme:Alguém avisa pra ela que esse vestido tá escorregando e quase mostrou os mamilos dela? Obrigado. Voltando pro palco: Continuo amando os animais no telão, mas continua claro pra uma canção dark. Bom uso da windmachine, boa performance vocal e muito boa a companhia do violinista pra Kasia no palco. Creio que veremos a Polônia numa quarta final consecutiva, mas não creio que dessa vez apresentará uma grande ameaça como no ano anterior. Nota: 8/10 pro desejo ardente dela de militar sobre os animais indefesos disfarçando em uma letra sobre amor.

Jônatas: Está legal, mas poderia ficar muito melhor, a música pede uma execução mais sombria, mais escura, mais intimista, e ao meu ver está muito clara não combinando muito com a canção. E aquele violinista aleatório deslocado está ficou legal. Nota:6/10

Marcus: A apresentação parece bem interessante, porém não tem nada que surpreenda, assim como outras concorrentes. É simples e bem feito, porém acho que a música pede cores mais escuras na apresentação. Kasia parece bem confiante e experiente no palco, o que irá ajudar muito. Nota: 6,5/10

Paulo: A canção é morna e a apresentação não é surpreendente mas é competente. Kasia canta muito bem e deverá ser empurrada pela diáspora para a final. Polônia tá conseguindo fazer bem o seu trabalho com a canção que tinham, principalmente pela qualidade técnica imensa da Kasia (sim, gostei do vestido dela). Nota: 7/10


Moldávia

Fabiana: eu não tinha gostado do vídeo do primeiro ensaio, mas vendo a performance inteira, acho que Epic Sax Guy & Friends podem mesmo chegar à final. O telão me parecia confuso, mas ele funcionou nos takes que mostraram e, como os meninos estão com roupas de cores neutras, as cores do fundo acabam ajudando. É divertido, é colorido, eles são extremamente carismáticos e essa ideia das noivas até que é engraçadinha – é gostoso vê-los atuar. Sem contar que a parte vocal é bem afiada e eles arrasam na coreografia desengonçada. Nota: 7,5/10

Guilherme:O cantor faz o que pode com a voz, e até que ele se sai bem. Epic Sax Guy todo treinado pra virar meme outra vez. Gostei das backings como noivas e o microfone de buquê. Digo e repito, a dancinha tem tudo pra contagiar a Europa, ainda mais num ano cheio de balada de beira de estrada. Creio (e espero) que veremos a Moldávia de volta à grande final depois de longos três anos. Nota: 7,5 pras mamas moldavas.

Jônatas: Acho aquela dancinha com o pé uma marmota, porém devo admitir que ela funciona bem no palco. O telão está meia boca e o vocal precisa melhorar mais. Nota:5/10

Marcus: Eu achei que essa coreografia seria feita apenas no refrão, mas é NA APRESENTAÇÃO TODA? Ai, que horrível, amigos. Nota: 4,5/10

Paulo: Moldávia está com um show extremamente bem realizado, competente e divertido. É a apresentação mais empolgante e divertida da semi. O vestido das backing vocals é muito longo, o que limita a coreografia, contudo o conjunto está afiadíssimo e a Moldávia está merecendo sim a classificação. Nota: 9/10


Islândia

Fabiana: com esse figurino de super-heroína e com esses lasers no fundo, só consigo imaginar ‘trilha sonora do X-Man’. Depois do show todo elaborado do ano passado, cheio de efeitos especiais e interações com o telão, esse ano eles vêm na simplicidade total, com um bom contraste entre os azuis/verdes/roxos do telão e o branco da paquita islandesa. Svala é uma das melhores artistas no palco, tanto vocalmente quanto em interpretação, mas não consigo vê-la na final – é tudo básico demais. Me impressiona esse corpitxo dela com 40 anos! Que invejinha boa, viu? Nota: 5/10

Guilherme:Volta cabelo espacial, combinaria mais com o visu Emma Frost. O telão é muito nadavê, mas estranhamente encaixa com a apresentação. Se no primeiro ensaio Svala estava bacana na sua presença de palco, nesse ela só decaiu. Felizmente, não alterou o vocal maravilhoso da fadinha islandesa. No geral tá uma apresentação bacana de se assistir lá no palco (porque, como de praxe, o jogo de câmeras da Islândia vai ser uma porcaria), mas eu ainda não a vejo indo pra final. No meu ponto de vista, melhorou bastante em relação ao primeiro ensaio. Nota: 7/10 porque o cosplay de Emma Frost me prendeu que nem cola.

Jônatas: O figurino, as luzes, o telão e o vocal de Svala estão muito bons, mas aquele sapato plataforma me dá uma aflição, pois toda hora penso que ela vai torcer o pé a qualquer momento. Nota:7,5/10

Marcus: A Islândia tem um dos melhores telões da edição até o momento, e a apresentação parece ser bem feita e com cortes de câmera bem interessantes. Acho que o único problema é Svala estar sozinha no palco, ainda sim tudo parece muito bem feito e coerente. Nota: 7,5/10

Paulo: Svala está magnífica no seu staging, seus movimentos estão excelentes e ela está muito mais controlada em sua apresentação. Contudo o que me incomoda é o telão, que é simples demais. A canção merecia algo mais dark, mais misterioso … talvez mais lasers, algo que não deixe Svala tão sozinha no palco. Mas mesmo assim, gostei da apresentação. Nota: 8,5/10


Tchéquia

Fabiana: não sei nem por onde começar… então começarei pelo que gostei: gostei do rosa, cor que já deu sorte para a Tchéquia em 2016, gostei do vocal da Martina e gostei do fato dele começar sentada na escadinha do palco. O resto está um desastre completo. A roupa parece mesmo um papel de presente natalino, ela nem sempre faz contato visual com a câmera, e essa propaganda da Dove no telão não tá rolando! Infelizmente, devemos ter o país naquele lugar que eles já conhecem bem – o último da semi. Nota: 4/10

Guilherme:Vocalmente Martina está ok pro timbre da música. Legal o fato dela começar sentada na escada, dá uma interação bacana entre intérprete e público. O jogo de câmeras vai ser decepcionante pelo trecho visto, e mais uma vez, o país aposta nos tons de roxo. O telão, com imagens no clipe não acrescenta nem diminui em nada. Só confirmando o que eu disse no primeiro ensaio dela: Esse jumpsuit com cordinha já caiu de moda há anos, e pega fácil um Dex. Tá tudo tão morninho/básico/sem graça. Parabéns CT, se vocês queriam arruinar uma música boa, vocês conseguiram com louvor. Nota: 1,5 porque é a hora da Martina flopar em prol do país.

Jônatas: A música pede uma apresentação bem simples, mas não tão simples (e ridícula) demais, o figurino, as luzes amarela com roxo, as partes do clipe no telão, nada disso funcionou bem. A única coisa que salva é o seu vocal que está muito bom. Nota:5/10

Marcus: Consigo ver que Martina tenta se esforçar pelo seu país, mas seu vocal definitivamente não está ajudando. Outra coisa que atrapalha o país é o telão, que usa imagens do clipe e alguns efeitos literalmente bizarros (como a parte dos olhos). Desde o começo a Tchéquia não despontou como favorita, com essa apresentação desfavorável as chances se tornam ínfimas. Nota: 3/10

Paulo: Antes de tudo, queima essa roupa Martina. Tirando os méritos da canção, a tcheca está dando tudo de si e ela tem uma presença de palco ótima e funciona muito bem e eleva muito a sua canção em si. Me impressionei bastante pois esperava uma apresentação estática e deu gosto de ver sua apresentação. Nota: 8,5/10


Chipre

Fabiana: Ay que saudades de “Stone in a river”! Não bastava a canção ser uma cópia, a apresentação também é! Sergey e Loïc mandaram lembranças, colega Hovig. Pelo menos o vocal tá bonitinho, ele acertou a coreografia e ele está confiante no palco. Devemos tê-lo na final, pois a música é agradável, a performance foi bem ensaiada e o trabalho de câmeras parece bom (e os 12 pontos gregos estão praticamente garantidos). Nota: 5/10

Guilherme:Ainda me incomoda muito o fato dele estar copiando descaradamente o telão de Bélgica 2015. Estou impressionado com o tanto de bons performers que temos esse ano, e Hovig não é uma exceção. No entanto, ele ainda apresenta uns erros na coreografia. O que deve salvar a apresentação cipriota é o jogo de câmeras (que mais uma vez está bem feito). Talvez esteja entre os finalistas, mas não o vejo fazendo muito burburinho a ponto de se tornar um favorito. Nota: 7/10 porque quero que o Hovig seja minhas asas enquanto eu voo. Em troca, vou ser o único que pode confiar nele, rs.

Jônatas: A dança está bem feita, muito bem elaborada, seu vocal está bom, mas precisa melhorar mais, e o telão d roubado da Bélgica 2015, nem preciso comentar, né!? Nota:6/10

Marcus: Apesar de o telão lembrar muito a Bélgica 2015 no refrão, o restante está muito bem feito e a coreografia é bem interessante. Estou surpreso com o Chipre. Nota: 7,5/10

Paulo: Extremamente coreografado, o que tira um pouco da naturalidade da canção. Agora esse telão cópia do Loic tá pesado e pouco imaginativo. Poderia ser algo bem melhor. Contudo vai funcionar muito bem nas câmeras e provavelmente o Chipre classificará. Nota: 7/10

x Close

Curta nossa página no Facebook