Eurovision

Drama atravessa a fronteira: canção francesa foi lançada em 2015

Cantada em um show

16 de Fevereiro de 2017 - por Fabiana Silva
16 02 2017

2017 é o ano para se esquecer no Eurovision! Se não bastassem os problemas com a organização da Ucrânia, a suposta fraude na Espanha, o vencedor que já teria sido conhecido na Romênia, o fica-não-fica de San Marino… agora é a vez da França enfrentar um problemão. Ao que parece, “Requiem” foi interpretada pela primeira vez em um show, no dia 24 de janeiro de 2015. Relembramos a regra:

A composição (letras e música) não deve ter sido lançada comercialmente antes de 1 de setembro de 2016. No caso de a composição ter sido disponibilizada ao público, por exemplo, mas não limitado a, em plataformas de vídeo online, rede social ou (semi-) publicada em bancos de dados acessíveis, a emissora participante deve informar o Supervisor Executivo do Eurovision, que terá autoridade para avaliar se a composição é elegível para participação do evento. Em particular, o Supervisor Executivo deve avaliar se tal divulgação antes da data de liberação é suscetível de conferir à composição uma vantagem no evento em relação às outras composições. A autoridade executiva autorizará ou negará a participação de uma composição que possa ter sido disponibilizada ao público, conforme aconselhado acima, sob reserva da aprovação prévia do Grupo de Referência.

Ainda que se possa alegar que a canção não tenha tido nenhum tipo de vantagem competitiva por causa de sua exibição pública em 2015, não está claro se a France 2 informou a EBU sobre a possível publicação antes de 1º de setembro de 2016. Até o momento, a organização não comentou sobre o assunto.

Os dois últimos casos de publicação anterior a 1º de setembro terminaram com vitória das intérpretes: “1944” (Jamala) foi apresentada durante um show em maio de 2015, enquanto “Never Alone” (Anja Nissen) foi cantada por sua compositora, Emmelie de Forest, vinha sendo cantada em shows por vários anos.


Sobre Alma

Alma tem 28 anos e é a mais velha de três irmãos. Começou a compor canções durante viagens e, assim que terminou a faculdade de administração, decidiu se dedicar oficialmente à música. Mudou-se para Paris, onde conheceu o compositor Nazim Khaled – ele, que já havia trabalhado com Amir (ESC 2016), compôs a maioria das canções de Alma. Além de cantar, a francesa também toca piano.

Fonte: Eurovoix

Veja mais sobre:

x Close

Curta nossa página no Facebook