Análises

Fucking beautiful!?!

Suécia - Robin Bengtsson - "I Can't Go On"

01 de Abril de 2017 - por Fabiana Silva
01 04 2017

Ficha Técnica

  • País: Suécia
  • Artista: Robin Bengtsson
  • Título: I Can’t Go On
  • Data de Lançamento: 18 de fevereiro de 2017
  • Autor(es): David Kreuger, Hamed “K-One” Pirouzpanah e Robin Stjernberg
  • Emissora: SVT
  • Método de seleção: final nacional (Melodifestivalen)

Biografia

Robin BengtssonRobin Bengtsson tem 26 anos e começou a se interessar por música bem jovem. Tocava trompete e, aos 13 anos, passou para o violão, que o permitiu cantar enquanto tocava. Em 2008, então com 17 anos, entrou para o Swedish Idol e encantou os jurados; no final, acabou na terceira posição. Pouco tempo depois, assinou contrat com a Merion Music, lançando o single “Another Lover’s Gone”.
 
Robin participou de alguns projetos e fez turnê com sua banda, até sua carreira ganhar outra dimensão com sua estreia no Melodifestivalen. Foi em 2016, quando ele foi escolhido para defender o tema “Constellation Prize“. O cantor venceu sua semifinal e, na final, terminou na quinta colocação. No ano seguinte, voltou à seletiva sueca e não só venceu sua semifinal, como também a final.
 
Sobre sua vida pessoal, Robin é fã de esportes radicais, já foi piloto de motocross e irá se casar em breve. Aos 23, tornou-se pai de um menino, William.


Galeria


Capa para Facebook

Timeline-Suécia


Apresentação ao vivo


Análise

O intérprete

Robin BengtssonRobin Bengtsson pode ter começado no Idol, mas seu grande salto para a fama só veio muitos anos depois, no Melodifestivalen 2016. E o crescimento que ele teve no período de um ano entre as duas últimas edições da seletiva sueca foi significativo – ele parece mais confiante, seu vocal está mais seguro e ele consegue se conectar melhor com as câmeras. Claro, ainda há espaço para melhora, mas ele está pronto para um desafio do tamanho do Eurovision. Ainda assim, ele fica mais confortável com propostas um pouco mais minimalistas, nas quais ele pode ser mais espontâneo e brilhar por si só – como o fez em “Constellation Prize“. Nota: 8,0/10

A canção

Robin BengtssonA primeira coisa que reparamos em “I Can’t Go On” é como ela é sensual: seu swing, sua letra, a forma como ela é cantada e apresentada no palco… Tudo exala sedução! É uma das propostas mais comerciais de 2017 e, assim como muitas canções pop da Suécia, sua produção é impecável. Percebe-se uma certa influência de Justin Timberlake em seu estilo, algo meio “Can’t Stop This Feeling“, só que menos cativante e mais repetitiva. Apesar de ser um tema que facilmente tocaria nas rádios ao redor do mundo, musicalmente ela não é tão impactante para o Eurovision. Ela se fia muito mais na performance elaborada do que em si própria, o que é um grande risco. Nota: 7,5/10

O apelo com o público

Robin BengtssonFalou Suécia, falou apelo com o público; parece que ambos estão intimamente ligados e que nada consegue separá-los. Ainda que Robin não fosse o favorito à vitória no Melodifestivalen e que ele tenha recebido críticas aqui e ali, ele ainda tem chances de levar o festival para casa pela terceira vez em seis anos. O vídeo oficial do canal do Eurovision tem mais de 2 milhões de visualizações em 20 dias, mesmos números do vídeo de apresentação da primeira semifinal do Melodifestivalen (que está no ar há pouco mais de um mês). O fato é que “I Can’t Go on“, como dito anteriormente, é extremamente comercial e poderia ser hit de qualquer lugar do mundo. É o que os suecos sabem fazer de melhor, músicas que conquistam as massas. Nota: 9/10

O conjunto da obra

Robin BengtssonComo de costume, a Suécia aparece nas primeiras posições das casas de apostas, deixando claro que o país, mesmo quando não escolhe o ‘favorito’ dos fãs, escolhe alguém que pode fazer bonito no festival. Robin tem uma canção comercial e uma apresentação criativa e muito bem ensaiada, interessante de se assistir – fatores que são essenciais para um bom resultado no Eurovision. Agora, o cantor terá uma difícil tarefa de abrir a primeira semifinal – será que ele tem potencial para que o público ainda se lembre dele durante a janela de votação? Analisando os participantes de sua semifinal, provavelmente sim. A briga pela parte alta da tabela será com Armênia, Azerbaijão e Bélgica, tendo Portugal correndo por fora. Nota: 8,5/10

O veredito

Veredito Suécia 2017



E na segunda-feira…

Kristian Kostov

A temporada de análises do ESCPedia continua na segunda-feira, com nosso veredito sobre “Beautiful Mess“, canção de Kristian Kostov que representará a Bulgária.

x Close

Curta nossa página no Facebook