Análises

Desarmada, mas ainda poderosa

Dinamarca - Anja Nissen - "Where I Am"

27 de abril de 2017 - por Jonatas Costa
27 04 2017

Ficha Técnica

  • País: Dinamarca
  • Artista: Anja Nissen
  • Título: Where I Am
  • Data de Lançamento: 20 de fevereiro de 2017
  • Autor: Anja Nissen, Angel Tupai e Michael D’Arcy
  • Emissora: DR
  • Método de seleção: final nacional (Dansk Melodi Grand Prix)

Biografia

Anja NissenAnja Nissen tem 21 anos e nasceu na Austrália, filha de pais dinamarqueses. Anja apareceu pela primeira vez como cantora em 2008, quando chegou às semifinais do Australia’s Got Talent – ela tinha apenas 12 anos na época. Durante o colegial, fez parte de um Programa de Desenvolvimento de Talentos e participou de diversas competições. Ela também esteve em alguns programas de tv e cantou o hino nacional dinamarquês para a Princesa Herdeira da Dinamarca Mary.
 
Em 2014, fez as audições para participar da terceira edição do The Voice Austrália e teve as quatro cadeiras viradas, escolhendo fazer parte do time de Will.I.Am. Apesar de não ser a preferia do público na fase ao vivo, Anja chegou à final e venceu. Logo depois do programa, lançou seu primeiro trabalho, que continha as canções que interpretou durante o The Voice. Depois, gravou alguns singles, como “I’m So Excited”, em parceria com Will.I.Am, e Cody Wise, e “Triumph”.
 
Em 2016, estreou no Dansk Melodi Grand Prix, final nacional da Dinamarca para o Eurovision, ficando em segundo lugar com a canção “Never Alone” (36% dos votos). Voltou à seletiva dinamarquesa em 2017 e, dessa vez, foi a vencedora com “Where I Am” (64% dos votos).


Galeria


Capa para Facebook

Anja Nissen timeline


Apresentação ao vivo


Análise

A intérprete

Anja NissenDona de uma voz poderosa, estonteante e inigualável, Anja Nissen vem não apenas para recuperar a integridade de seu país, levando-o de volta para a final, mas também para brigar pelo título. A cantora mostra muita confiança, animação e bastante presença de palco, fazendo todo o público se envolver na atmosfera de sua canção e prendendo a atenção de todos durante os três minutos de sua performance. Anja está perfeita, não precisa mudar e/ou acrescentar nada. Com certeza, ela poderá surpreender a todos em Kiev – quem sabe, com uma apresentação memorável, ela não consiga mesmo esse título tão almejado. Nota: 9/10

A canção

Anja NissenDepois de três anos errando, finalmente a Dinamarca acertou em escolher “Where I am” para voltar à final do Eurovision  A canção em si tem seu charme e pode se sustentar sozinha, sem se escorar na performance. Entretanto, vale lembrar que a maioria dos comentários são sobre as qualidades de Anja e sobre como ela se comporta no palco. De fato, temos um R&B que pode ter saído de algum disco do início dos anos 2000; cuja construção pode ser considerada muito ‘básica’ se comparada ao potencial de sua intérprete. Mesmo assim, parece que ela nasceu para ser de Anja, já que, na voz de outra cantora, ela talvez não tivesse tanto brilho. É justamente essa combinação de melodia e vocal que faz com que o público fique preso durante toda sua execução. Nota: 8,25/10

O apelo com o público

Anja NissenParece que o público realmente gostou da escolha que a Dinamarca fez. Para um país com 25 aparições no top-10, três delas em primeiro lugar, os últimos anos têm sido difíceis, já que eles entraram em uma onda de entradas não muito competitivas e de péssimos resultados. Contudo, parece que agora eles terão mais apoio dos fãs para assegurar seu sucesso o festival. Seu vídeo no Youtube tem mais de 1,1 milhão de visualizações, com aproximadamente 11 mil likes e apenas 1300 deslikes. Os dinamarqueses podem se dar muito bem tanto no júri quanto no televoto, pois sua entrada é tanto técnica quanto competitiva. Nota: 8/10

O conjunto da obra

Anja NissenTudo parece estar a favor de Anja, e, com certeza, ela conseguirá êxito em sua jornada no concurso. “Where I am” consegue se sustentar sem precisar de uma performance muito extravagante. A canção ganha muita força com a voz, a presença de palco e a auto-confiança de Anja, que transmite muita energia durante todos os três minutos em que está se apresentando. A proposta virá para superar as expectativas de tudo e de todos e impelir a Dinamarca para o topo novamente. As casas de apostas já mostram o país em segundo lugar de sua semifinal e em 13º na final – e os ensaios ainda nem começaram. Nota: 8/10

O veredito

Veredito Dinamarca Eurovision 2017



E amanhã…

Norma John
A temporada de análises do ESCPedia continua amanhã, com nosso veredito sobre “Blackbird“, canção de Norma John que representará a Finlândia.

x Close

Curta nossa página no Facebook