Eurovision

Ucrânia segue indecisa sobre a cidade-sede

Cidades devem melhorar suas propostas

03 de agosto de 2016 - por Marcus Javarini
03 08 2016

Pela primeira vez na história do Eurovision, o país anfitrião resolveu fazer uma pré-seleção ‘pública’ para decidir a cidade abrigará o festival. Inicialmente marcada para 27 de julho, o anúncio da escolha da sede foi prorrogado para o dia 1º de agosto e, novamente, prorrogado sem prazo definido.

Pelo menos é o que afirma a chefe de delegação da NTU, Victoria Romanova. Em entrevista ao canal Ukraine Today, ela ressaltou a importância da escolha da cidade-sede e explicou o motivo pelo qual a data foi prorrogada. Segundo ela, esse tempo extra servirá para as cidades candidatas (Dnipro, Kiev e Odessa) melhorarem as suas propostas de estrutura, que incluem os locais dos eventos, segurança, aeroportos, transporte, mobilidade e etc.

A escolha da cidade anfitriã é provavelmente a decisão principal para todo o Eurovision. Esse veredito é muito importante para ser tomado às pressas. É por isso que a NTU, a EBU e o comitê organizador decidiram em conjunto ter mais tempo. Nós temos esse tempo e nós temos a certeza de ter tudo em ordem para receber mais informações das cidades.

Os gastos virão do orçamento do Estado, co-financiado pela cidade anfitriã, pelo pagamento da União Europeia de Radiodifusão e por fontes de patrocínio.

Sendo assim, as cidades deverão melhorar suas propostas, a fim de torná-las mais atrativas para o time que selecionará a sede. Quando todas as cidades enviarem suas propostas revisadas, o comitê formado por representantes da EBU e da NTU irá analisá-las e escolher a cidade-sede do Eurovision 2017.

Assista à entrevista de Victoria Romanova na íntegra (em inglês):


Batalha das cidades

Para saber mais sobre as cidades que se inscreveram para abrigar o Eurovision 2017, clique aqui.

Fonte: ESCToday

Veja mais sobre:

x Close

Curta nossa página no Facebook