Eurovision

“Tem chovido manifestações”, diz presidente da RTP sobre patrocinadores

18 de maio de 2017 - por Marcus Javarini
18 05 2017

Gonçalo Reis, presidente da RTP, fez algumas declarações acerca da realização do Eurovision 2018 em Portugal durante a inauguração da usina solar da emissora nesta última terça. Reis afirmou que o objetivo da emissora é realizar um show “sem excessos”, mas que tenha um “tom de qualidade, elegância e simplicidade“, e afirmou estar entusiasmado em receber o festival no país. Além disso, foi discutido sobre o nível de produção do festival:

Do ponto de vista técnico há muitas exigências e a RTP tem de o saber fazer. […] Já nos passaram o caderno de encargos, com requisições técnicas muito específicas, [que será] trabalhado nas próximas semanas e meses.

Além de Gonçalo, o Secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, aproveito a inauguração da usina solar para sugerir que todo o festival fosse alimentado com energia renovável, afirmando que é possível fazê-lo e que isso teria uma ótima visibilidade.

Dentre outros assuntos comentados, Gonçalo afirmou que logo na noite em que Portugal venceu o Eurovision, começou a receber ligações de grandes empresas nacionais interessadas em patrocinar o evento. Ele ainda acrescentou que é prematuro falar sobre o custo do festival, mas que estará dentro do razoável e que o país não deverá gastar dinheiro com um local para o evento, como aconteceu em 2012, uma vez que Portugal tem “infraestruturas excelentes“.


Portugal recebeu o direito de organizar o Eurovision 2018 após a vitória de Salvador Sobral com ‘Amar pelos dois’. Esta é a primeira vitória do pais e a edição do ano que vem marcará a 50ª participação portuguesa no festival europeu. Relembre a canção vencedora:

Fonte: Observador

Veja mais sobre:

x Close

Curta nossa página no Facebook