[EM ATUALIZAÇÃO] Confira os primeiros ensaios do Eurovision 2017

E começaram os primeiros ensaios da temporada de 2017! Além de conferir cada um deles, nossa equipe fará comentários sobre o desempenho dos artistas. Confira:

Ensaios de hoje

  • Suécia
  • Geórgia
  • Albânia
  • Austrália
  • Bélgica
  • Montenegro
  • Finlândia
  • Azerbaijão
  • Portugal

Confira o calendário completo do Eurovision 2017


Suécia

Fabiana: não tivemos mudanças significativas na performance sueca – apenas o telão, que deu uma profundidade interessante à imagem. Gosto das cores escolhidas (rosa e azul), os cinco rapazes têm muito carisma, mas o vocal estava deveras sofrível. Nota: 7/10

Guilherme:Suécia como sempre na reciclagem (se bem que nesse caso não tinha muito o que inovar), mas ao menos colocou um fundo lindinho e que combina com a música. A apresentação tá bacaninha de ver, mas nada espetacular. Ah, Robin, faça o favor de melhorar essa voz. URGENTE.  Nota: 6/10 pelo freakin’ beautiful que é o Robin <3 (mentira, a reciclagem tá boa).

Jônatas: Nada de novo em sua performance, está igual a final nacional. Tanto o Robin como seus dançarinos devem estar mais sincronizados para não virar uma bagunça, o telão achei bem legal, principalmente na parte que tem a estrada que dá um efeito bem legal quando eles estão andando na esteira. Nota 6/10

Marcus: Nem preciso dizer que não é nada surpreendente repetir a apresentação da NF, né? Não está ruim, mas notei pouca sincronia entre os dançarinos. Nota: 6,5/10

Paulo: Suécia…. mais do mesmo, como sempre é com a Suécia em relação ao Melodifestivalen. Odiei o telão e vocal tá bem mais ou menos. Nota: 6/10


Geórgia

Fabiana: apesar do vermelho ser uma ótima cor para expressar o dramatismo da canção, o telão nem sempre combina com o conjunto. Ainda assim, Tako canta demais e, com certeza, a Geórgia fará um excelente trabalho de câmeras para minimizar o problema do telão e para criar uma atmosfera emocionante. Nota: 7,5/10

Guilherme: Chegou dois anos atrasada pra capa tour, querida. E o que é esse telão todo vermelho? Crendeuspai. O ponto alto com certeza é (e sempre será) o vocal da Tamara, ela é top nos falsetes.  Nota: 5,5/10 só por causa da voz.

Jônatas: De primeira vista, a performance de Tamara não causou muito impacto, porém a sua performance está bem harmoniosa, as luzes casam bem com a música, pois parecem que estão dançando. O vocal de Tamara está impecável e os backing vocals ajudam a música ter mais impacto.  Nota: 8/10

Marcus: Tako como sempre talentosíssima. A apresentação parece ser bem simples e com certeza será bem diferente do que foi feito na seletiva. Nota: 7/10

Paulo: Geórgia gastou a verba toda na apresentação de 2016? Que bela oportunidade perdida, poderiam explorar muito a canção. O telão é tosco e a iluminação não ajuda. Tako tem uma das melhores vozes – se não a melhor – da competição. Merecia algo melhor. Nota: 5,5/10


Albânia

Fabiana: Lindita usou os mesmos gráficos do clipe no telão e partiu para uma performance básica, com ela no centro e os backing vocals ocupando toda a parte de trás do palco, um ao lado do outro. A kosovar canta bem, mas exagera nas notas longas e nos agudos, o que torna seu show cansativo. Nota: 5,5/10

Guilherme: Albânia sempre faz cagada no palco, então nem estou surpreso com o telão steampunk retirado do clipe. Do trecho que vimos, não deu pra ver nada, na verdade, exceto a gritaria exagerada da Lindita. Maneira um pouco, querida, você não é Mariah Carey aos 20 anos. Oversinging nunca é bom.  Nota: 3/10 (Na verdade nem deu pra ver nada, mas como é minha análise, coloco a nota que eu quiser)

Jônatas: Nenhuma novidade avistada a primeira vista. O telão está muito nada a ver, há pedras, aqueles barcos do videoclipe e uns relógios passando… Contudo isso, Lindita tem sua voz para se escorar, pois a performance está bem sem nexo. Nota: 5/10

Marcus: Devo dizer que o telão me incomodou. Essa arte não está condizendo muito com a música, espero que o jogo de câmeras esteja muito bom pra corrigir isso daí. Pelo menos Lindita continua mandando muito bem no que faz, é o que poderá salvar a Albânia. Nota: 5/10

Paulo: Lindita e seu telão reciclado do clipe, achei o pior telão do dia. Queria saber o que os relógios que aparecem em destaque têm a ver com o resto. Gritaria, muito backing vocal sem função e Lindita claramente quer se mostrar. Humildade garota! Nota: 4/10


Austrália

Fabiana: a Austrália acaba de despedaçar meu coração. Esperava algo muito mais criativo e impressionante, mas tudo o que recebi foi um staging minimalista, um telão ‘egocêntrico’, um vocal apenas aceitável. A escolha do azul como cor base não me chamou a atenção. Nota: 5/10

Guilherme: Primeiro desapontamento do dia. Esperava um telão mais elaborado e pensado pro Isaiah, e não que mostrasse o próprio por 3 minutos. Agora que ele já fez cagada no telão, ao menos espero que ele venha com um terninho e não com aquele sobretudo, afinal ele cantará “Don’t Come Easy”, e não “Singing in the Rain”. A voz nem deu pra ouvir direito, o microfone tava baixo (ou eu que estou surdo). Nota: 2/10 pela iluminação (que aliás está de parabéns, pisou sem prometer).

Jônatas: Sua performance está bem narcisista, provavelmente será prejudicado pela performance sem criatividade, além de estar cantando, tem ele no telão, bora melhorar isso daí. Nota: 5/10

Marcus: Muito autoestima preencher o telão com imagens do Isaiah, não? Ainda sim, é um conceito que parece funcionar e a Austrália não vem decepcionando em suas apresentações. Resta saber se vai ficar bom nas câmeras. Confesso que tive dificuldade de reconhecer a música pelas mudanças que ele improvisou no palco. Nota: 6,5/10

Paulo: Australia perdeu a mão? Depois daquela coisa sem sal que mandaram no último JESC, isso? É muito amor próprio é não vejo como isso vai funcionar. Se passar – do jeito que tá – é porquê tá cotado. Nota: 3,5/10


Bélgica

Fabiana: a Bélgica já caiu nas casas de apostas? Do jeito que está, o conjunto está tão morno quanto sua intérprete – o vocal não foi tão bom, o telão não é criativo, a ideia da luzinha que a segue não foi utilizada. Gostei apenas dos efeitos das luzes, que dão uma imagem bonita e moderna. Nota: 4/10

Guilherme: Eu particularmente gostei, ela parecia estar mais viva, apesar de faltar companhia pra ela, mesmo não sendo o que a música pede. O vocal tá bacana (não que ela tivesse como mudar alguma coisa, né).
Agora ouvi dizer que ela ia usar um daqueles candelabros do clipe, mas deu muitos problemas técnicos e optaram por não usar. Uma pena porque ia condizer mais com o contexto da performance. Nota: 6/10 pela vontade de viver que a Blanche criou.

Jônatas: Para a performance de Blanche ficar com mais vida, deveria ter pelos menos alguém no palco com ela, mas a sua apresentação ficou bem harmoniosa e todos os elementos se casaram perfeitamente. Nota 7/10

Marcus: Apesar de não seguir o conceito genial do clipe, eu adorei esse telão. A Blanche não mostrou nada de surpreendente e que já não era sabido. A única coisa que me incomoda é que teremos câmera com planos fechados nela, o que poderá prejudicar a apresentação pela sua inexpressividade. Nota: 6/10

Paulo: Blanche, não basta estar morta, tem que matar suas chances com um telão morto, uma iluminação não existente e uma criatividade que nunca surgiu. Decepção. Nota: 5/10


Montenegro

Fabiana: Slavko está se sijogando no palco, como em uma batalha do RuPaul. O telão tem imagens do rosto do cantor, mescladas com imagens do espaço, exatamente o que todos esperávamos. E, claro, a trancinha não podia faltar! Sinceramente, é melhor uma performance fraca e divertida do que uma performance séria que saiu toda errada oi Bélgica. Nota: 4,5/10

Guilherme: Segunda decepção do dia (ou nem tanto). Não tem como ver o jogo das câmeras, mas se não ficou em último na votação da imprensa, é porque tá bom. Quanto à voz do Slavko, tem que trabalhar nela sim porque tá vergonhoso, mas deveria abaixar o volume do microfone dele e aumentar dos backing vocals, afinal, no refrão ele só vai pro bate cabelo mesmo. O telão, apesar de ser um pouco narcisista como o australiano, é mais elaborado e todo trabalhado no conceito da canção (anota aí, Sacha-Jean Baptiste). Também é legal ver que o Slavko não tem nenhum coreógrafo. Por mais países que deixem seus artistas livres no palco. Nota 5/10 pelo fundo, trança e dança.

Jônatas: Slavko está desafinado, parece estar perdido no palco, não tem muita desenvoltura, não sabe pra onde joga aquela trança e está narcisista demais também. Nota 2/10

Marcus: Eu me recuso a comentar e minha nota explica o porquê. Nota: 3/10

Paulo: Slavko, the time has come to lip sync for your life. Good luck and don’t fuck it up. Nota: 2/10 (sashay away)


Finlândia

Fabiana: praticamente a mesma performance do UMK e isso muito bem. As mudanças de cores do telão são lindas, o vocal é preciso e os leds no piano ficaram ótimos. Os melhores do primeiro dia de ensaios, disparado! Nota: 9,5/10

Guilherme: O passarinho que me contou estava certíssimo, pelo jeito. Norma (que é Leena, na verdade) continua com a voz magnífica, sem extrapolar ou forçar agudos desnecessários (anota, Albânia). Isso sem contar que ela tá uma fadinha da beleza. Ouvi dizer que foi o ensaio mais aclamado do dia, e não tiro o mérito. Se as performances continuarem a ser horrorosas, Finlândia pode até vencer a semi e abocanhar um top 10 na final. Nota: 9/10 pelo Renew que passaram na Leena, e somente nove porque ninguém é perfeito.

Jônatas: Nada de surpreendente também, mesma apresentação da final nacional, mas essa performance se harmoniza perfeitamente com a música, o vocal da moça está muito bom também. Nota 9/10

Marcus: Mais uma apresentação que se manterá igual na seletiva, o que já era esperado. Esse minimalismo deu certo no UMK e provavelmente dará certo no palco de Kiev. Ainda sim, aquele desejo de surpresa acaba não existindo. Nota: 7,5/10

Paulo: Finlândia tá linda, iluminação maravilhosa e o palco é excepcional. Vai arrepiar com certeza! Nota: 9/10


Azerbaijão

Fabiana: não entendi NADA! Absolutamente NADA! O que é esse cavalo? O que é essa lousa toda rabiscada? Gostei dos prédios do telão e da mudança para o vermelho no refrão. Um press release disse que ‘o quarto escuro representa relacionamentos auto-destrutivos’ – a performance realmente auto-destruiu as chances dessa ótima canção. Ah, e o vocal foi só ok. Nota: 3/10

Guilherme: SIM. SIM. SIM <3
Um cara com máscara de cavalo em cima de uma escada e um uma lousa, pra quem reclamava de que as performances eram muito robotizadas e iguais, eis a diferença pra ser celebrada. Obrigado, DiHaj, entrará pro hall eurovisivo de inovação depois dessa.
Agora vamos falar sério: Quem em sã consciência viria pro Eurovision com máscara de cavalo em cima de uma escada? Só o Azerbaijão mesmo. Falta de grana? Vontade de inovar? Nunca saberemos. A apresentação pra tv deve ter ficado bacana, mas não sei se o grande público vai entender o conceito. E falta gás na voz da Dihaj, mas qualquer coisa a Sahlene tá ali de fundo pra ajudar. Nota: 7,5/10 pelo cavalo de terno na escada enquanto ela faz a linha anarquista escolar.

Jônatas: Parece que o Azerbaijão voltou a fazer grandes apresentações, gostei bastante daquela caixa onde Diana fica, mas só não entendi aquela escada de pintor com um cara com uma máscara de cavalo em cima dela. ela precisa melhorar seu vocal. Poderia ter uma apresentação muito mais elaborada, mas essa quebra o galho e passa à final por motivos de: é o Azerbaijão, gente… Nota: 7/10

Marcus: Todos sentados porque a professorinha Helena vai dar a aula de biologia! Sinceramente, eu esperava MUITO mais do Azerbaijão. Podemos ver que o vermelho no telão representa o sangue nos meus olhos quando vi o desastre que estava acontecendo ali no palco, com aquele homem com cabeça de cavalo em cima de uma escada dentro de um quarto todo rabiscado enquanto uma moça canta mais ou menos bem uma música que tinha tudo pra um top 10. Nota: 4,5/10

Paulo: Que p*rra é essa do Azerbaijão? Que viagem é essa? Adorei! Fiquei com vontade de ver ela inteira, criatividade que prende a atenção pela falta de sentido. Fizeram algo mais indie e não o breguerê Azeri de costume. Agora Dihaj, melhore o vocal ou chama a Sahlene. O breguere Azeri de costume, o que eu agradeço e muito. Nota: 8,5/10


Portugal

Fabiana: que fundo lindo e que impressão maravilhosa ele dá para quem está vendo pela televisão. A ideia de se apresentar no palco satélite também foi boa, pois já temos uma performance simples e essa é uma forma de se destacar das demais. Resta saber como Salvador irá se comportar nesse palco, com toda essa pressão. Nota: 9/10

Guilherme: Então, não tenho o que opinar porque vi o ensaio da Luísa e não do Salvador. Chega logo, reizinho. Nota: 3/10 pelo fundo, que aliás é a única coisa que eu tenho sobre o que falar (e tá lindo <3).

Jônatas: Achei estranho Luísa cantando Amar Pelos Dois, mas parece que a música funciona do mesmo jeito. A performance de Portugal me lembra muito a entrada da Holanda em 2013, uma performance simples e localizada no palco satélite. Espero que Portugal tenha a esma sorte quanto a Holanda teve em 2013 indo para o topo do ESC. Nota 7/10

Marcus: Não sabia que a irmã do Salvador também tinha essa espontaneidade… peculiar. Não vou falar nada sobre ela ter estragado a música porque sabemos que ela não irá competir, o que é ótimo. Ainda sim, achei que a floresta ficaria ruim na apresentação e acabou me surpreendendo. As cores estão simplesmente magníficas dando um ar mais nostálgico à música. Menos é mais, desde que seja bem feito. E foi. Nota: 8,5/10

Paulo: Não tem como analisar Portugal por motivos óbvios – o telão tá muito bonito. Nota: 7,5/10

Fonte: EBU
x Close

Curta nossa página no Facebook