Análises

City of lights, are you shining just for me?

Bélgica - Blanche - "City Lights"

21 de março de 2017 - por Paulo K.
21 03 2017

Ficha Técnica

  • País: Bélgica
  • Artista: Blanche
  • Título: City Lights
  • Data de Lançamento: 8 de março de 2017
  • Autor(es): Blanche, Emmanuel Delcourt e Pierre Dumoulin
  • Emissora: RTBF
  • Método de seleção: escolha interna

Biografia

BlancheInspirada por seu irmão mais velho, o cantor Oliver Lord, Ellie Delvaux, ou Blanche, começou bem cedo a cantar e a tocar violão e piano. Aos 16, participou das audições do The Voice Belgique, da VRT, sendo selecionada para o time da banda francesa Cats on Trees. Ela passou pelas batalhas e foi eliminada no segundo programa da fase ao vivo.

Depois de sua participação, Blanche continuou gravando canções e fazendo shows. Em sua conta do Youtube, ela costuma postar covers de artistas como Adele, Ed Sheeran, Rihanna e Lana Del Rey. Ela pretende lançar seu EP de estreia no segundo trimestre de 2017 e, para isso, ela está trabalhando com Pierre Dumoulin.


Galeria


Capa para Facebook

Timeline Bélgica


Clipe Oficial


Análise

A intérprete

BlancheDentro de toda a proposta belga, a intérprete é o fator mais preocupante. Blanche parece ser inexperiente (o que é normal, de acordo com a sua idade) e desprovida de um carisma que poderia vender sua canção de uma forma mais convincente. Contudo, “City Lights” é uma canção que se encaixa no ótimo vocal e no perfil de Blanche – que não requer um alto nível de energia e carisma de seu intérprete, devido a seu clima “sombrio” – contudo a sua falta de expressividade e experiência mesmo ao interpretar uma canção indie poderá fazer com que o público não se conecte com ela no palco. Contudo são apenas suposições, já que é difícil julgar uma cantora que tem pouca experiência e poucas aparições na mídia até o momento – a cantora possui talento e poderá facilmente surpreender no palco, já que a mesma não foi escolhida internamente à toa. Nota: 8,5/10

A canção

BlancheCity Lights” não é algo que já vimos várias vezes no Eurovision, e a sua originalidade dentro dos parâmetros do festival é revigorante. Contudo sua falta de um climax maior, algo que a canção constrói durante os seus três minutos e acaba não se realizando é o que falta para a canção (aquele momento memorável, o momento que o recap mostra) que geralmente é um ponto essencial – contudo não mandatório – para toda canção que deseja vencer o Eurovision. Contudo esse ponto não mostrou ser um fator cabal para o insucesso da canção, como mostrou a reação das casas de apostas. “City Lights” é intrigante, artística e cativa de uma forma diferente dos tão comuns estereótipos de “canção eurovisiva” (se é que isso realmente exista, já que o conceito de canção eurovisiva muda de acordo com o tempo). A Bélgica está de parabéns por tentar algo novo e de qualidade, mesmo não sendo acessível para todos.Nota: 9,5/10

O apelo com o público

BlancheAs apostas são claras ao mostrar que ‘City Lights” caiu no gosto da maioria, já que esse gênero de canção está sendo popularizado por várias cantoras no momento, sendo que podemos encontrar influências como Lorde e London Grammar e se formos um pouco longe, até Lana del Rey e Birdy. A canção é extremamente original dentro do Eurovision, contudo não é inovadora dentro de um contexto global. Contudo, “City Lights” se destaca pela qualidade de sua produção e de sua composição, não recaindo nos velhos truques – os famosos gimmicks – que já foram extremamente usados no palco do Eurovision para maquiar a qualidade da canção e poder elevá-la em qualidade. A canção é acessível para quase todos os públicos, contudo o amor é relativamente muito maior de que o ódio em relação à entrada belga. Nota: 9/10

O conjunto da obra

BlancheCity Lights” tem tudo para conquistar um top 5 no Eurovision, contudo isso vai depender muito de sua apresentação e da forma que a canção é vendida no palco. Vamos ver se Blanche tem o poder de interpretar a sua canção de forma adequada, pois quando o cantor não consegue vender sua canção, o público não a compra – e tampouco vota. A Bélgica tem a faca e o queijo na mão, e se depender de suas duas últimas entradas no Eurovision e como foram apresentadas no palco, acredito que não deveremos nos preocupar com o desempenho da mesma. Sendo otimista e julgando por esses quesitos apenas, a Bélgica possui um dos conjuntos mais fortes do ano – e que deverá ser reconhecido, principalmente pelo júri. Nota: 9,5/10

O veredito

Veredito Bélgica 2017



E amanhã…

Fusedmarc
A temporada de análises do ESCPedia continua amanhã, com nosso veredito sobre “Rain of Revolutions“, canção de Fusedmarc que representará a Lituânia.

Veja mais sobre:

x Close

Curta nossa página no Facebook