Eurovision

As 10 melhores canções da temporada eurovisiva de 2016

03 de janeiro de 2017 - por Paulo K.
03 01 2017

A temporada do ano de 2016 do Eurovision foi repleta de canções para todos os gostos, canções que se classificaram ou não para o Eurovision 2016 que aconteceu em Kiev, na Ucrânia. Hoje, o ESCpedia irá revelar as dez melhores canções da temporada eurovisiva de de 2016 de acordo com os nossos editores.


10° lugar (Hungria)
Petruska – “Trouble In My Mind”

Apesar de “Trouble In My Mind” pertencer a um gênero que não faz sucesso entre  a maior parte do público eurovisivo, Petruska trouxe ao A Dal uma canção divertida, pegajosa e com uma fantástica letra que se destaca facilmente entre a maioria das canções eurovisivas da temporada pela sua originalidade. Conseguiu chegar longe no A Dal, ficando no top 4 do júri que e classificou assim para a super final onde o televoto escolheu a eventual campeã, “Pioneer” de Freddie. “Trouble In My Mind” está longe de ser uma canção comercial e dificilmente chegaria longe no Eurovision, contudo é facilmente uma das melhores da temporada eurovisiva.


9° lugar (Espanha)
María Isabel – “La Vida Sólo Es Una”

A campeã do Junior Eurovision 2003 poderia ter feito bonito pela Espanha com essa ótima canção pop. “La Vida Sólo Es Una” é uma excelente canção em seu gênero, comercial, original e bem interpretada por María Isabel. Sem sombra de dúvidas traria um resultado melhor que Barei no final do Eurovision (ao menos se destacaria mais que “Say Yay”, já que essa no fim acabou provando que era apenas mais uma canção em inglês mal apresentada no palco) e é facilmente uma das melhores canções pop/dançantes da temporada.


8° lugar (Suécia)
Oscar Zia – “Human”

Com uma letra tocante, Oscar Zia voltou ao Melodifestivalen e quase chega a vitória com a sua “Human”, uma ótima balada com uma excelente apresentação. Apesar do vocal de Oscar não ser um dos melhores, afetando bastante assim a sua apresentação, a canção em si é uma das melhores composições da temporada.


7° lugar (Armênia)
Iveta Mukuchyan – “LoveWave”

Quando “LoveWave” foi lançada, ela impressionou pela originalidade e pela força que tinha – mas não era apontada com uma das favoritas a vencer o festival. Era óbvio que tinha um grande potencial para apresentação e a Armênia é um dos poucos países que sabe montar muito bem uma apresentação no palco eurovisivo. Contudo o live de Iveta pode ser facilmente considerado um dos mais memoráveis da história do Eurovision, o que elevou em muito a qualidade da canção. Facilmente uma das melhores canções da temporada de 2016.


6° lugar (Estônia)
Jüri Poostmann – “Play”

Esqueça a desastrosa apresentação na semifinal que deixou a Estônia em último lugar: “Play” de Jüri Poostmann é uma das melhores canções da temporada. A maestria de sua letra combinada com seu arranjo dá um ar misterioso, sexy e tocante em “Play” que aliados à ótima performance vocal de Jüri Poostmann, transforma-a em uma das melhores e mais originais canções da temporada. Pena que a apresentação na semifinal foi extremamente inferior à da final nacional, diminuindo em qualidade a canção e fazendo com que a Estônia conseguisse assim uma não surpreendente eliminação nas semifinais.


5° lugar (Holanda)
Douwe Bob – “Slow Down”

Douwe Bob provou mais uma vez que é um excelente cantautor: “Slow Down” é uma excelente composição, aliados com uma letra fácil de se cantar, um primoroso arranjo e com o imenso carisma de Bob fizeram com que a Holanda classificasse mais uma vez à final. “Slow Down” se destaca por não ser uma canção “típica eurovisiva“, contudo é comercial e fácil de ser consumida pelo público em geral, sendo assim uma das melhores canções da temporada eurovisiva de 2016.


4° lugar (Hungria)
Oláh Gergő – Győz a Jó

Oláh Gergő foi a surpresa do A Dal em 2016 – ele conseguiu mesclar as tradições ciganas com ritmos atuais e o resultado foi “Győz a Jó“, que conta com batidas hip-hop, violinos e um refrão chiclete. No palco, a performance foi tão chamativa quanto a canção, trazendo telões com cores vibrantes, uma coreografia marcante e até areia caindo do teto. Não era uma proposta para os fãs de música comercial, mas conseguiu ser finalista de uma das finais nacionais mais fortes da temporada.


3° lugar (Finlândia)
Mikael Saari – “On It Goes

Mikael Saari bateu na trade duas vezes no UMK, mas poderia ter chegado com tranquilidade ao top-10 do Eurovision. “On It Goes” mostrou uma grande evolução do finlandês: ele já era um bom intérprete quando estreou em 2013, porém, agora ele se mostrou muito mais confiante e expressivo no palco; a performance durante a seletiva foi praticamente a cena de um musical. O vocal, que foi um do seus fortes há mais ou menos três anos, ficou ainda mais preciso e mais carregado de emoções.


2° lugar (Islândia)
Greta Salóme – “Raddirnar”

Mesmo que não tenha conseguido se classificar para a final do Eurovision, Greta Salóme conquista a segunda posição de nossa lista, porém com a versão em islandês de seu tema eurovisivo. De primeiro momento, a apresentação de “Raddirnar” durante o Söngvakeppnin, impressionou – com alguma inspiração no que Måns Zelmerlöw fez em 2015, Greta interagiu com mãos, pássaros, vultos… projetados em um telão. A proposta lembrava muito filmes antigos de faroeste e o idioma islandês era, com certeza, seu maior charme (e foi o maior erro da cantora tê-la interpretado em inglês em Estocolmo).


1° lugar (Ucrânia)
Jamala – “1944”

Jamala tocou muitos fãs com sua performance de “1944“, uma canção extremamente pessoal e emotiva, que ficou ainda mais poderosa por causa de seu poder vocal e de sua presença de palco. Apesar das polêmicas sobre o contexto político da letra e da divulgação antes da data permitida, a ucraniana conquistou, de maneira irrefutável, sua vitória, dominando o palco e criando uma performance praticamente sem falhas. Por esses motivos é que a vencedora do Eurovision 2016 não poderia ficar fora de nossa lista.


Vote em sua canção preferida!

x Close

Curta nossa página no Facebook