Análises

Análises Comparativas 2015-2016 – 1ª Semana

Holanda / Bulgária / Rússia / Macedônia / Polônia / Belarus

30 de outubro de 2016 - por Fabiana Silva
30 10 2016

Shalisa e Kisses

Shalisa – “Million Lights” / Kisses – “Kisses and Dancin'”

A Holanda mudou bastante de estilo de 2015 para 2016, principalmente por não terem alcançado um resultado tão satisfatório em Sofia. Enquanto Shalisa tinha uma canção mais emotiva, que conseguia se conectar muito bem com o público holandês, as Kisses têm uma proposta mais animada, cujo instrumental e refrão são bem mais internacionais. Além disso, levando em consideração o fato de que a EBU quer atingir um público mais novo – realmente infantil -, “Kisses and dancin'” tem chances de conquistar um lugar no top-5, o que “Million Lights” nunca teve.

A Holanda melhorou em relação a 2015

Releia a análise de “Kisses and Dancin'”


Gabriela & Ivan e Lidia Ganeva

Gabriela & Ivan – “Color of Hope” / Lidia Ganeva – “Magical Day”

Gabriela & Ivan tiveram uma missão muito difícil em 2015: representar seu país em casa, logo no ano seguinte ao do fenômeno Krisia. A dupla não fez feio, porém “Color of Hope” não era uma proposta memorável e eles não foram tão seguros na parte vocal. Já “Magical Day” tem uma batida mais envolvente, que combina bem com o carisma e a meiguice de Lidia Ganeva. O nível ainda não é o mesmo de “Planet of Children”, mas Lidia é a que mais se aproximou dele, trazendo aos fãs europeus um tema interessante e com uma bela mensagem.

A Bulgária melhorou em relação a 2015

Releia a análise de “Magical Day”


Misha Smirnov e Sofia Fisenko

Misha Smirnov – “Mechta” / Sofia Fisenko & The Water of Life Project – “Water of Life”

Enquanto em 2015 a Rússia não tinha nenhuma chances de vencer – apesar da balada “Mechta” ter sido muito bem interpretada pelo talentoso Misha Smirnov, ela não apresentava nada de original e era a favorita de poucos, vide a posição na final do festival – a Rússia vem como uma das favoritas neste ano com “Water of Live“, uma canção muito mais memorável e original que sua antecessora. Sofia não tem o mesmo potencial de Misha, contudo ela não decepciona e interpreta uma canção superior à de 2015.

A Rússia melhorou em relação a 2015

Releia a análise de “Water of Life”


Ivana Petkovska & Magdalena Aleksovska e Martija Stanojkovic

Ivana Petkovska & Magdalena Aleksovska – “Pletenka” / Martija Stanojković – “Love Will Lead Our Way”

Sempre falamos que aplaudimos a dupla Ivana & Magdalena por terem composto sua própria canção – ver meninas tão jovens cantando suas próprias músicas é um grande incentivo para que outras crianças comecem a se expressar através de suas composições. Infelizmente, nem o público e nem o júri entraram na onda de “Pletenka”, talvez porque ela não fosse tão atual quanto se esperava. “Love Will Lead Our Way” é extremamente atual, porém peca por ser muito adulta e sensual para uma competição infantil. Ainda assim, o conjunto de 2016 é bem mais popular e, com uma boa performance de Martija Stanojković, pode obter um excelente resultado em Malta.

A Macedônia melhorou em relação a 2015

Releia a análise de “Love Will Lead Our Way”


KWADro e Olivia Wieczorek

KWADro – “Łap życie” – Olivia Wieczorek – “Nie Zapomnij”

A Polônia volta para o Junior Eurovision depois de mais de 10 edições ausente e parece que eles estudaram bastante antes de decidir se aventurar na competição infantil da EBU. As KWADro não tinham uma canção ruim, porém ela era um pouco menos impactante que suas concorrentes. O vocal era bem harmônico, enquanto o show em si era muito ‘ensaiadinho’. Voltando para 2016, Olivia Wieczorek tem a melhor canção polonesa da história do JESC, título que será difícil de ser tirado dela num futuro próximo. “Nie Zapomnij” é atual, profissional e tem uma interpretação impecável.

A Polônia melhorou em relação a 2015

Releia a análise de “Nie Zapomnij”


Ruslan Aslanov e Alexander Minyonok

Ruslan Aslanov – “Volshebstvo” – Alexander Minyonok – “Muzyka Moikh Pobed”

Enquanto em 2015 Belarus veio com uma bela balada interpretada magnificamente por Ruslan, Alexander vem com um pop dançante. Ambas canções não se assemelham em nada, sendo a única coisa que tem em comum são seus intérpretes – ambos são talentosíssimos e elevam a qualidade de suas canções. Tecnicamente, “Volshebstvo” é superior que “Muzyka Moikh Pobed” (apesar que o final da canção cantada em inglês barateou a canção e em nada colaborou com o sucesso de “Volshebstvo”) o conjunto total faz com que suas ambas propostas – a do ano passado e a desse ano – sejam igualmente boas.

Belarus manteve o nível em relação a 2015

Releia a análise de “Muzyka Moikh Pobed”


Na próxima semana

Confira as análises comparativas de mais seis países: Ucrânia, Geórgia, Austrália, Armênia, Chipre e Malta.

x Close

Curta nossa página no Facebook