Análises

Bonita, singela e totalmente esquecível

Tchéquia - Martina Bárta - "My Turn"

11 de abril de 2017 - por Paulo K.
11 04 2017

Ficha Técnica

  • País: Tchéquia
  • Artista: Martina Bárta
  • Título: My Turn
  • Data de Lançamento: 07 de março de 2017
  • Autor: DWB e Kyler Niko
  • Emissora: ČT
  • Método de seleção: Escolha interna

Biografia

Martina BártaMartina Bárta tem 28 anos e é uma cantora, musicista e atriz tcheca. Sua relação com a música começou bem cedo, quando começou a tocar trompete. Formou-se Jazz Universität der Küntste, em Berlim, apresentando como trabalho de conclusão de curso o show “I’ll be swinging you…”, ao lado de seu mentor Greg Cohen (que já trabalhou com nomes como Diana Krall e Tom Waits). Interpretou Lady Marianne na versão tcheca do musical Robin Hood.

Martina destaca-se por sua voz poderosa e grande expressividade, sendo ideal para liderar grandes bandas de baile. Sua voz pode ser ouvida em vários projetos, como na Bigband de Felix Slováček, na dupla Scotch and Soda e a banda 4 To The Bar. Ela também já se apresentou ao lado de artistas de renome mundial, como Karel Gott. Em 2017, foi a escolhida da ČT para representar a Tchéquia no Eurovision.


Galeria


Capa para Facebook

Martina Barta


Clipe Oficial


Análise

A intérprete

Martina BártaMartina possui uma excelente voz, que é um prazer de se escutar. Definitivamente ela é a melhor parte de todo o conjunto tcheco, sendo extremamente segura e expressiva ao performar sua canção. Nota: 9,5/10

A canção

Martina BártaMy Turn” é uma balada extremamente sofisticada que seria perfeita para a trilha sonora de uma novela ou filme. Ela possui uma qualidade ímpar, um arranjo singelo e uma ótima execução. O problema é que ela é esquecível demais para um festival como o Eurovision. O refrão é ótimo, contudo não é memorável, sendo que o arranjo se mantem constante durante a canção, sem crescer, transformando-a um tanto quanto repetitiva (o que acaba de matar a melhor parte da canção, seu refrão – na última parte quando os backing vocals entram, é uma mudança positiva que poderia ter sido melhor explorada, mas acaba sendo usada muito tarde e por muito pouco tempo). A canção é boa, mas poderia ser melhorada para poder se destacar e se transformar em algo memorável – o que não é. Nota: 7/10

O apelo com o público

Martina BártaComo dito anteriormente, “My Turn” não tem um apelo muito grande entre o público eurovisivo: apesar de ser uma composição com excelente qualidade, ela é muito “sem sal”, não de destaca e não emociona ou ao menos fica nas nossas cabeças. Você poderá escutar “My Turn” várias vezes e mesmo assim se esquecer da canção um tempo depois. Ela pode se dar melhor com o júri, mas ela é uma das baladas com menor apelo do público no ano. Nota: 5/10

O conjunto da obra

Martina BartaO resumo seria: uma excelente cantora com uma singela e bonita composição que não emocionam. A não ser que a República Tcheca faça a melhor apresentação de sua vida e surpreenda bastante no palco (ao menos o vídeo clipe da música é bastante interessante), o país dificilmente passará para a final – Gabriela, ano passado, com uma canção muito mais interessante e memorável passou em nono para a final – ou seja, as chances de Martina são um pouco menores. A República Tcheca apostou mais em qualidade mas esqueceu da competitividade.Nota: 6/10

O veredito

Veredito Tchéquia Eurovision 2017



E amanhã…

Francesco Gabbani
A temporada de análises do ESCPedia continua amanhã, com nosso veredito sobre “Occidentali’s Karma“, canção de Francesco Gabbani que representará a Itália.

x Close

Curta nossa página no Facebook