Entrevistas

ESCPedia fala com Peter Koelbel, da 1FLTV de Liechtenstein

País não estreia em 2017

21 09 2016

English version here

P: Lichtenstein está tentando participar do Eurovision desde 1976! De onde vem esse interesse no festival?

R: A música é de grande importância para Liechtenstein e a competição é um grande evento para promover os pontos altos de um país pequeno.

P: Quais são as razões pelas quais a EBU não aceita a 1FL como membro ativo?

R: A EBU irá aceitar a 1FL. Esse não é o problema. Para se tornar membro ativo, você deve pagar uma taxa de admissão e uma taxa anual. COm esse dinheiro, você pode participar do festival e, mais importante, da troca de programas. Só estamos transmitindo programas sobre Liechtenstein e a troca de programas, para nós, não tem valor algum. Então há a taxa da EBU – apenas para o festival – que para nós é muito cara. Somos uma emissora privada e acreditamos que participar do festival e apresentar Liechteinstein para um público de muitas milhões de pessoas deve estar no interesse do Estado, então, o estado deveria contribuir com os custos do festival. Até agora, sem chance.

P: Como você vê a Austrália dentro e Liechtenstein foram, sendo que tanto a SBS quanto a 1FL não são membros ativos?

R: Não sei o motivo.

P: Quais são as dificuldades de um microestado em participar de uma competição como o Eurovision?

R: Como mencionei antes, é o dinheiro. Somos uma emissora de tv provada e temos que refinanciar nossa programação em um mercado com 37 mil habitantes.

Fonte: ESCPedia

Veja mais sobre:

x Close

Curta nossa página no Facebook